As Palavras do Senhor

Como Se Sentiria Se Fosse Obrigado(a) A Seguir Uma Religião Que Não é A Sua?

Eu sou Ateu e nasci numa família Cristã e desde sempre fui (literalmente) obrigado a seguir a mesma religião. Durante anos fui obrigado a seguir um caminho no qual eu não acreditava onde tinha que rezar todos os dias e ir sempre à igreja até ter idade suficiente para me impor.
Já sei quais serão as respostas dos Ateus (até porque eu sou um…), então gostava de saber o ponto de vista dos Teístas.


Comments to Como Se Sentiria Se Fosse Obrigado(a) A Seguir Uma Religião Que Não é A Sua?

  • Oieee DNSsss ,
    Essa é o tipo de pergunta que muitos ateus não entenderiam mas eu não sou nem a pontinha do dedo mindinho dos homens da bíblia mas com certeza morreria proferindo a minha crença e a minha fé.
    Primeiro pq a fé e a fidelidade é inexplicável,tem que ter e sentir para saber.
    Depois pq eu sou marrenta mesmo ,rsrs
    Acho que falta isso hoje em dia nas pessoas.
    Falta convicção naquilo que elas acreditam e não só a nível de fé e crença mas em tudo.Basta ver a dança das cadeiras em partidos políticos.
    Antigamente as pessoas morriam por aquilo que acreditavam.
    Sei lá,minha familia sempre foi tranqüila quanto a essa liberdade mas acho que se fosse obrigada a algo iria tomar varias chineladas apostolicas pela rebeldia hehehe
    hugs for you !!!

    Nec's 1 Junho, 2009 8:31
  • D!N!S, creio em Deus com toda minha essência, mas não condeno quem não acredita, também não pertenço a religião alguma, justamente porque são cheias de dogmatismos e imposições. “TÔ fora”! Admiro a liberdade de pensamento e o respeito pelo que os outros pensam, pois somos um Universo a parte, cada um com suas conquistas e conhecimentos. Não da para impor ou julgar nada de ninguém. Portanto, jamais seria obrigada hoje a fazer o que não desejo. Quando crianças somos induzidos a fazer o que os pais acham certo, mas agora, não me preocupo mais com isso. Respeito, porém desejo ser respeitada também. Cada um na sua e assim, poderemos ter um círculo de amizades bem maior, não acha? Pois todos gostamos de ser livres..

    Nefertit 1 Junho, 2009 8:31
  • Quando se faz algo por obrigação realmente não é bom, não será bem feito…
    Acredito que seus pais não te “obrigaram” mas tentaram te mostrar o caminho que leva até Deus, pois eles amam vc e te querem bem.
    Sou católica e, graças a Deus, minha mãe e avós me ensinaram a Palavra. Eu aceitei, vi ações de Deus na minha vida, nunca tive motivos para duvidar de Sua existência. No início da minha vida, Deus me foi apresentado; hoje vou até Ele sem precisar de ajuda, pois vou por amor.

    docinho 1 Junho, 2009 8:31
  • Todo mundo nasce numa religião, é costume social, mas a verdadeira religião nasce dentro da gente e leva algum tempo para se manifestar. Quando as duas combinam, tudo bem. Geralmente não combinam, uma é do gosto da alma e a outra é imposta. E tudo que é imposto é falso, é feio, mesmo aureolado com as melhores das intenções. Você se diz ateu e foi obrigado a seguir a religião onde nasceu. Até quando foi obrigado? Mesmo depois de adulto? Não creio, ou então você é uma pessoa de fraca personalidade. Eu jamais ficaria num credo que não batesse com minha índole, com meu julgamento de bom-senso. Fui batizado na religião evangélica, concordava com ela na infância, mas na adolescência comecei a questionar e os pastores diziam que eu estava alimentando o demônio com minhas dúvidas. Então caí fora e fui ver se o tal demônio era tão feio como diziam. Qual nada! Descobri que ele estava onde menos eu esperava. Daí me tornei cristão espiritualista até hoje, e graças a Deus não me arrependo! Não estou mais dividido como antes. E muitas das minhas antigas dúvidas foram plenamente esclarecidas. Por que não faz o mesmo? Sua idéia de ateísmo vem do confronto entre seu bom-senso e o que ensinam baseados em velhas escrituras, porque você é sincero demais para engolir sapos – mesmo santificados. Estude o Espiritualismo Cristão, meu caro, faça um teste. Vá a algumas boas congregações espiritualistas e procure se enfronhar com o que é ensinado. Depois, quem sabe?, terá descoberto sua verdadeira praia. E que Jesus o conduza até a descoberta. Fraternalmente, Ossola.

    carlosos 1 Junho, 2009 8:31
  • Seria horrivel. Ninguem deve acreditar em algo por imposiçao, mas por vontade propria. Voce é o unico que se conhece e sabe suas necessidades e anseios. Vejo muito disso aqui, gente querendo fazer os outros acreditarem na religiao deles a força, dizendo que o diabo vai te pergar ou voce vai queimar no fogo do inferno se nao mudar de religiao, tudo coisa de gente imbecil.

    Coração Mineiro 1 Junho, 2009 8:31
  • Olá
    Sou Cristão Luterano e já balancei na fé sim! Acho que a busca espiritual é uma fase que todos nós temos que passar. No meu caso aquietei meu coração e sinto-me satisfeito, embora sempre estudando e questionando.
    No seu caso, chegaste a conclusão que não é seu caminho crer em algo superior. Sem problemas! Cada um na sua.
    Desejo que seja feliz com suas escolhas!
    Felicidades,
    W.

    † Wiking ? Thor 1 Junho, 2009 8:31
  • ME SENTIRIA UM LIXO UM ZERO À ESQUERDA,ALGUÉM QUE NAO TERIA NEM O DIREITO DE FAZER SUAS PRÓPRIAS ESCOLHAS E DE TER SUA OPINIAO PESSOAL RESPEITADA.NA VERDADE ISSO JAMAIS ACONTECERIA COMIGO POIS TOMO MINHAS PRÓPRIAS DECISOES E TENHO INTELIGENCIA E FORTE PERSONALIDADE PRA FAZER MINHAS ESCOLHAS.NAO PERMITIRIA QUE NINGUÉM ME OBRIGASSE A COISA ALGUMA,JAMAIS!!!!!!!!

    Marcio S 1 Junho, 2009 8:31
  • Sou católico mas não vou dar passagens da biblia ou coisa e tal para você acreditar.
    Bem eu acho que iria dizer o que sinto a minha familia, porque dizer a verdade é sempre o melhor caminho.

    doces01 1 Junho, 2009 8:31
  • Faça o que sua consciência mandar !
    Procure ler a Bíblia para saber a vontade de Deus e depois leia o seu coração e opte ! Espero que escolha o melhor pra vc! Boa sorte!
    Graça e Paz

    Jesus is Love 1 Junho, 2009 8:31
  • a cara eu sou cristão catolico e defendo minha igreja mais não axo q as pessoas devem ser obrigadas a seguir uma religião se não tem fé nela (issu só vai ser nessesário quando eu dominar o mundo)

    yoda_mas 1 Junho, 2009 8:31
  • Sentiria escravizado porque acho que ninguém tem que fazer algo obrigado!

    Anderson Luiz S 1 Junho, 2009 8:31
  • Rasque o verbo,a roupa ou q seja fale a verdade e chega de mentiras e viva a sua crença!

    Andrea F 1 Junho, 2009 8:31
  • sou evangélica. defendo minha religião e a católica tbm, pq servimos a um só Deus

    ??• J??h ?? 1 Junho, 2009 8:31
  • Religião é VENENO.

    DEUS UM DELÍRIO 1 Junho, 2009 8:31
  • ninguem é obrigado a seguir religiao que nao quer

    luigi 1 Junho, 2009 8:31
  • PREGUIÇA ESPIRITUAL’
    TORNANDO-SE audíveis na Terra batem agora através do universo as badaladas das doze horas no relógio do mundo! Atônita, a Criação retém
    seu fôlego; atemorizadas, encolhem-se todas as criaturas, pois a voz de Deus soa para baixo e exige: exige prestação de contas de vós que tivestes a permissão de viver nesta Criação.
    Administrastes mal a Beira que Deus em seu amor vos transmitiu. Já agora serão lançados fora todos os servos que só pensaram em si e nunca no seu Senhor! E todo aquele que desejou se tornar Senhor … Vós, homens, permaneceis zonzos diante de minhas palavras, porque não considerais a severidade como coisa divina! No entretanto isso é vossa culpa sòmente, porque considerastes divino, como vindo de Deus, cujo amor supondes terno e longánime, tudo quanto as igrejas vos ensinaram como tal!
    Essas falsas doutrinas eram porém apenas cômputos à altura da compreensão intelectual que visavam a pesca coletiva das almas dos homens terrenos. Para cada pesca se faz necessário uma isca que atue atraindo o que se tem em vista. A escolha acertada duma isca é essencial para tôda e qualquer pesca.
    Para bem se coadunar pois com as almas humanas era mister se organizar um plano de acôrdo com as fraquezas delas. O chamariz devia corresponder á fraqueza principal! E essa fraqueza principal das almas era a comodidade, a indolência de seu espírita!
    A igreja sabia muito bem que o resultado para ela seria grande se soubesse desde logo ir largamente ao encontro dessa fraqueza e não exigisse que dela abdicassem!
    Com esse conhecimento certo, tratou de aplainar logo para os sêres huma
    nos um caminho largo e cômodo que devia supostamente conduzir até â
    Luz e apresentou-o como engodo a êsses homens que preferem outorgar
    um décimo do fruto de seus trabalhos, cair de joelhos, murmurar orações
    cem vezes a gastar um só momento num esforço espiritual!
    A igreja dispensa-os pois do trabalho espiritual, perdoa-lhes todos os
    pecados, se os’ homens forem obedientes nas coisas terrenas e exteriores
    que a igreja exige dêles terrenamente!
    Seja pois em visitas a seus templos, em confissões, na quantidade das ora
    ções, nos tributos, presentes ou legados, a igreja se satisfaz com isso. Dei
    xou os fiéis.ga ilusão de que para cada coisa que outorgarem á igreja lhes
    ficará reservado também um lugar no reino do céu.
    Como se a igreja dispusesse desses lugares para distribuir!
    Os compromissos e as obediências de todos os fiéis os ligam porém apenas
    com suas igrejas, não com seu Deus! As igrejas ou seus dirigentes não podem contudo retirar um grão da culpa duma alma humana, e muito menos perdoar-lha! Tampouco canonizar uma alma, com isso intervindo nas perfeitas e eternas leis primordiais de Deus, que são inflexíveis! Como podem ousar os homens opinar e também decidir sôbre coisas que repousam na onipotência, na justiça e na onisapiéncia de Deus!? Como se atrevem os homens terrenos a embair desta forma a crença de seus semelhantes? E não menos criminoso é por parte dos homens aceitar e acreditar em tais usurpações que tão nitidamente correspondem ao aviltamento da grandeza de Deus!
    Tal coisa incrível apenas se pode tornar possível entre homens da massa ignara, sem pensamento próprio, homens que, mediante tal conduta, oferecem prova da maior preguiça espiritual. De fato, o mais simples raciocínio fará imediatamente qualquer um reconhecer sem a mínima dificuldade que tais usurpações não podem ser explicadas nem sequer como arrogância humana ou mania de grandezas, e sim como uma grave blasfémia contra Deus!
    Inexorável se patenteará a ação retroativa!
    O tempo da longanimidade de Deus já passou. Uma cólera santa ressoa pelas fileiras desses criminosos que procuram assim fascinar a humanidade terrena a fim de aumentar e conservar seu prestígio, enquanto êles sentem perfeitamente que se trata de coisas, as quais eles nunca terão direito de atingir.
    Como se atrevem pois a dispor sôbre o reino de Deus na eternidade? O fulgor da cólera divina os fará ressuscitar do sono espiritual da noite para o dia e … os julgará! …
    Que dá um homem a seu Deus, sujeitando-se á igreja? Com isso não disporá dum único impulso espontâneo intuitivo capaz de ajudá-lo a ascender.
    Eu vos digo, os homens na realidade apenas podem servir a Deus, justamente através daquilo que mediante as igrejas não chegou a tomar vida própria, com seu próprio pensar, com sua análise independente! Cada qual tem que transpor sòzinho as mós, as rodas das divinas leis da Criação. E por isso se faz mister que cada qual por si aprenda em tempo certo o tipo das mós e seu andamento.
    Isso exatamente foi o que muitas igrejas procuraram evitar com pertinácia para que os crentes não pudessem se entregar a indispensáveis raciocínios e intuições próprias. Com isso despojaram os homens daquele bordão único capaz de guiá-los explicitamente para a Luz, e procuraram muni-los à força duma interpretação cuja observância só podia dar proveitos igreja. Proveitos, influencia e poder!
    Só com a movimentação de seu espírito podem as almas humanas servir ao seu Criador! E também precipua e simultâneamente a si mesmas.
    Somente um espirito humano que permanece lúcido e vigil nesta Criação, consciente de suas leis, inserindo-se nelas pelo pensamento e pela ação, somente êsse será deveras agradável a Deus pois está cumprindo a razão de ser de sua existência conforme cabe a cada espirito humano nesta Criação!
    jIss não se encontra, contudo, nas práticas que as igrejas exigem de seus fiéis! Carecem de naturalidade, de livre convicção, de saber, que são as condições essenciais do verdadeiro servidor de Deus! Carecem de frescor e de alegria, que propiciam ajuda a todas as criaturas cujas almas entoam úbilos pela felicidade de saber que podem colaborar para a beleza desta Criação, como uma parte dela, e que com isso agradecem e veneram o Criador!
    Em vez de alegres e espontâneos adoradores de Deus, a igreja instituiu escravos seus! Encravou-se no livre olhar da humanidade! Só para escurecer a legítima claridade. Apenas soube manietar e entorpecer os espiritos humanos em lugar de os despertar e libertar. Manteve criminosamente os espiritos no sono opressor, impedindo-lhes o anseio do conhecimento e o saber com preceitos e práticas que contrariam e se opõem à vontade de Deus! Tudo isso só para grangear poder próprio.
    Conforme as igrejas já outrora não recuavam diante de tormentos, de torturas, diante do assassínio em múltiplas maneiras, tampouco se atemoriza hoje de caluniar contemporâneos, de enche-los de opróbrios, de solapar sua autoridade, de persegui-los, de espalhar por seu caminho todos os empecilhos e estorvos, sempre que eles não querem
    se enfileirar no bando dos escravos da igreja! Manobra com os meios mais impuros só para arrai gar a sua influencia, o seu poder temporal.
    Exatamente isso agora se abate, por ocasião do efeito retroativo, primeiro
    oscilando, logo a seguir desmoronando-se, pois foi obra contrária à von
    tade de Deus! Mostra-se assim a distância que vai de se servir a Deus
    humildemente.
    Multidões intermináveis se deixaram atrair por diamarizes de con
    veniente indolência do espírito para o regaço entorpecedor das igrejas.
    A quimera iníqua da absolvição barata foi acreditada, e, com a preguiça
    mental, novas` multidões aumentaram a influencia na Terra visando um
    poder terreno! Os homens não viram que com êsse falso conceito e dou
    trina toda a sacrossanta justiça de Deus Todo-Poderoso se entenebrecia e
    se conspurcava; viram só o amplo e cômodo caminho enganosamente
    apresentado como sendo o da Luz e que na verdade nem existia sequer!
    Mera ram}iá duma arbitrária e quimérica absolvição dando para a treva e
    o aniquilamento!
    O absolutismo, de tôdas as igrejas, inimigo de Deus, interceptou os crentes de Deus, em vez de os levar até Ele. As doutrinas eram falsas. Todavia era fácil os próprios homens se darem conta de que elas contrariavam nitidamente a mais simples intuição da justiça! Eis por que os fiéis das igrejas são deveras tão culpados quanto as próprias igrejas!
    As igrejas servem-se das palavras de Cristo segundo o Evangelho de João:
    “Quando porém vier aquête que é o espírito da verdade, sereis guiados em tôda a verdade. E quando o mesmo vier castigará o mundo por seus pecados e por causa da justiça! E trará o julgamento. Eu, porém, voltarei para meu Pai e de então por diante não me vereis. Saí do Pai e vim ao mundo. Torno a deixar o mundo e regresso para junto do Pai!” Tais palavras são lidas sem compreensão nas igrejas, porque pelo Filho de Deus já foi claramente dito que virá um outro, que não ele para anunciar a verdade e para trazer o julgamento. O espírito da verdade, que é a Cruz Viva! E todavia também nesse ponto a igreja ensina errado e contra essas palavras claras.
    No entretanto, Paulo escreveu outrora aos Coríntios: “O nosso saber é fragmentado. Quando porém vier o que é perfeito, então cessará o que é parcial.”
    Com isso mostra o Apóstolo que a vinda daquele que anunciará a verdade deve ser esperada, e a promessa do Filho de Deus a tal respeito não se deve referir à conhecida efusão da fôrça do Espírito Santo que então já se dera quando Paulo escreveu estas palavras. Atesta-se assim que o Apóstolo não tomava essa efusão de fôrça pela realização da vinda ou missão do Consolador, do espírito da verdade, conforme atualmente comemorando o Pentecostes, de modo estranho muitas igrejas e crentes procuram interpretar. Tal coisa não lhes convém em sua organização de crença porque não seria senão uma brecha que poderia causar perigosos abalos a essa falsa construção. Aliás, não lhes adianta nada agir assim, pois está chegado o tempo do conheciment

    Divulgaç 1 Junho, 2009 8:31