As Palavras do Senhor

Concordam Comido Que A Biblia É Uma Hipnose-literaria Bem Arquitetada Inventada Desde O Concilio De Niceia ?

Eu acho que você está uma pouco mal informado, pois o catálogo de livros da Bíblia aceitos já estava formado bem antes do concílio de Nicéia. Por exemplo, há o fragmento muratoriano do segundo século DC (antes de Nicéia que foi em 325 DC)que menciona os livros bíblicos aceitos da época do mesmo jeito que estão hoje (com excessão da Bíblia da igreja católica que adotou os apócrifos bem depois do cânon já estar formado). Pesquise na wikipédia que deve ter alguma coisa falando sobre o fragmento muratoriano. Espero ter ajudado. O assunto abaixo tb é legal.
Provas da autenticidade da Bíblia.http://www.watchtower.org/t/200711/artic…

COMENTÁRIOS FACEBOOK

Comments to Concordam Comido Que A Biblia É Uma Hipnose-literaria Bem Arquitetada Inventada Desde O Concilio De Niceia ?

  • Não…não concordo.
    O que houve foi uma definição e organização dos textos que já haviam, mas não uma “criação” de textos novos.
    Claro, ao longo do tempo, pode ter havido algumas “adaptações” às políticas e tradições da época, mas o fundamento do amor acima de tudo, permanece o mesmo, este é imutável e imortal, pois ele não nasce nos papéis escritos, mas no interior do homem que é imagem e semelhança do “Todo Amor”

    Bruno B 14 Julho, 2009 23:31
  • CÂNONE BÍBLICOhttp://www.google.com.br/search?hl=pt-BR…
    É uma pequena dúvida: além dos livros canônicos, sei que existem centenas de apócrifos, considerados “não-inspirados”.Quem, e de que modo, fez essa divisão? Quais os critérios utilizados para definir quem foi ou não
    inspirado por Deus? Será que a escolha do cânone não foi uma desculpa utilizada por algumas correntes para eliminar outras consideradas dissidentes ou heréticas? Como se define se um texto é ou não inspirado? Com certeza não perguntaram a Deus quais eram os inspirados e os heréticos, portanto foram homens comuns que fizeram essa crucial distinção.Não estaria a cristandade sendo enganada por engodos há dois mil anos?
    RESPOSTA
    A Igreja é quem define claramente quais são os livros canônicos, pois a ela foi dada a missão de ter o depósito da fé.
    Você diz que:
    “Com certeza não perguntaram a Deus quais eram os inspirados e os heréticos, portanto foram homens comuns que fizeram essa crucial distinção.Não estaria a cristandade sendo enganada por engodos há dois mil anos?”
    Meu caro João, não sei se você já reparou, mas Deus não sai por aí respondendo perguntas de curiosos. Deus nos ensina através da Igreja. E Ele, que não pode Se enganar, e nem nos enganar, a revelou.
    Não é difícil de entender que Deus Nosso Senhor quis se revelar. Pela forma de suas perguntas, se vê que você parte do principio de que não há intervenção divina na revelação, o que é contraditório. É óbvio que Deus cuida para que a Revelação seja transmitida corretamente, senão para que Ele Se revelaria?
    A Revelação não é produto da consciência individual ou coletiva do homem através dos tempos. Ou conjunto de estórias desenvolvidas por grupos como meio de dominação cultural. Isto tudo não é Revelação, por definição.
    A revelação é sobrenatural e externa ao homem. Portanto ela não nos chega de modo direto e imediato, mas através da Igreja.
    Como a verdade é una, só pode haver uma Igreja que Ele estabeleça para transmitir e guardar a revelação. E essa é a Igreja que Ele fundou: a Igreja Católica.
    Cristo, Verbo de Deus, confiou Sua verdade e Sua graça à Igreja Católica, para que transmitisse aos homens de todas as gerações:
    “Foi-me dado todo o poder no céu e na terra. Ide, pois e ensinai todos os povos…Eis que Eu estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos” (Mt 28. 18-20)
    A garantia de que a Igreja cumprirá fielmente esta missão não reside em si apenas, enquanto composta de homens frágeis, mas na presença eficaz de Cristo e de Seu Espírito Santo, até a consumação dos tempos (cf. Jo 14, 16-17 e 16, 13-15).
    Ora, foram duas as formas de transmitir (tradere) a Revelação: a Tradição (traditio), e as Sagradas Escrituras. Sendo que estas últimas, são posteriores à primeira e necessitam dela para ser retamente interpretadas, pois as Sagradas Escrituras nasceram da Tradição.
    O próprio fato da existência e o número dos livros inspirados (canon) só os conhecemos pela Tradição.
    O canon bíblico é composto por 45 livros do Antigo Testamento e 27 do Novo Testamento.
    Antigo Testamento:
    Existem dois cânones do Antigo Testamento: o Alexandrino, também chamado Versão dos Setenta (Septuaginta), que é o verdadeiro e sempre foi utilizado pela Igreja desde o início, e o Palestinense (bíblia hebraica), fixado no séc I de nossa era pela Escola de Jâmnia. Foi usado na Palestina e era o único reconhecido autêntico pelos fariseus.
    A Septuaginta é uma tradução para o grego e foi feita no séc. III aC, em Alexandria (Egito), por setenta e dois sábios judeus, em virtude da diáspora. A população judaica nessa cidade já não mais compreendia a língua hebraica. Essa foi a Bíblia adotada pelos Apóstolos de Nosso Senhor Jesus Cristo em suas pregações e textos: das 350 citações que o Novo Testamento faz dos livros do Antigo Testamento, 300 concordam perfeitamente com a versão dos Setenta, inclusive quanto às diferenças com o hebraico. E os fariseus não o condenavam por isto.
    Por volta do ano 100 dC, os judeus da Palestina se reuniram em um sínodo na cidade de Jâmnia e estabeleceram alguns critérios para formarem o seu cânon bíblico, tais como: o livro não poderia ter sido escrito fora do território de Israel, o livro não poderia conter passagens ou textos em aramaico ou grego, mas apenas em hebraico, o livro não poderia ter sido redigido após a época de Esdras (458-428 aC), etc.
    Por causa desses critérios nacionalistas, os livros escritos pela comunidade judaica do Egito não foram reconhecidos pelo sínodo de Jâmnia. Esses livros não reconhecidos e que aparecem na tradução dos Setenta são tecnicamente chamados de deuterocanônicos, por não terem sido unanimemente aceitos. São, portanto, deuterocanônicos no Antigo Testamento os seguintes livros: Tobias, Judite, Baruc, Eclesiástico, Sabedoria, 1Macabeus e 2Macabeus, além das seções gregas de Ester e Daniel.
    TEXTO COMPLET

    fungo 14 Julho, 2009 23:31
  • Noooossa, meu!!! Que coisa!!!
    Disse Jesus:
    “Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna; e são elas que dão testemunho de mim Jo 5:39”
    Abraços.

    Ex-semin 14 Julho, 2009 23:31
  • Isso é verdade!!!!
    Verdade Nota dez !!!!
    O que não entendi foi tão poucos pontos e tão nobre tarja laranja, mas isto é o de menos.. apenas comentário.
    Um abraço e boa semana
    DZ7
    PS- Também a título de comentário, ainda gostaria de ver o documento – emitido e assinado por Deus, com o selo branco do Reino dos Céus -segundo o qual a Igreja seria a fiel depositária das palavras e intenções de Deus… (Eu acredito apenas em Deus… e só… nada nem ninguém mais…)

    Irmão 14 Julho, 2009 23:31
  • rapaz vce nao e louco e tem razao,louco e o mundo que nao ve a diferença.

    MUNDADOR 14 Julho, 2009 23:31
  • “Concordam comido” rsrs
    Sim, mais concordo contigo.

    Daniel S 14 Julho, 2009 23:31
  • sim ^^

    L?is Ðh?rm? I. 14 Julho, 2009 23:31
  • boa.

    007 hexa 14 Julho, 2009 23:31
Loading...