As Palavras do Senhor

Curiosidades … Por Que O Judaismo Não Acredita Que Jesus Cristo Tenha Sido O Messias?

Segundo o rabino Busquila, da Congregação Israelita Paulista, os judeus consideram Jesus uma pessoa comum, tão humana quanto qualquer outra. “Ele foi uma pessoa boa, inteligente, um líder carismático e também foi judeu”, explica o rabino. De acordo com ele, o judaismo não aceita a idéia de que um homem viraria Deus ou vice-versa. “Foram os apóstolos que desenvolveram a teoria do Cristianismo, já após o falecimento de Jesus, que nunca afirmou ser filho de Deus”, afirma Busquila. Segundo ele, os judeus não acreditam que houve ou haverá um Messias, mas sim uma era messiânica, na qual toda a humanidade aceitará e lutará pela paz.


Comments to Curiosidades … Por Que O Judaismo Não Acredita Que Jesus Cristo Tenha Sido O Messias?

  • Cristianismo freqüentemente trata o mundo físico como um mal a ser evitado. Maria, a mais sagrada mulher cristã, é retratada como uma virgem. Padres e freiras são celibatários. E os mosteiros estão em locais remotos e segregados.
    Em contraste, o Judaísmo acredita que D’us criou o mundo físico não para nos frustrar, mas para nosso prazer. A espiritualidade judaica vem através do envolvimento no mundo físico de maneira tal que ascenda e eleve. O sexo no contexto apropriado é um dos atos mais sagrados que podemos realizar.
    Jesus não foi um profeta. A profecia apenas pode existir em Israel quando a terra for habitada por uma maioridade de judeus. Durante o tempo de Ezra (cerca de 300 AEC), a maioria dos judeus recusou-se a mudar da Babilônia para Israel, e assim a profecia terminou com a morte dos três últimos profetas – Chagai, Zecharyá e Malachi.
    Jesus apareceu em cena aproximadamente 350 anos após a profecia ter terminado.
    A idéia cristã de um nascimento virgem é extraído de um versículo em Yeshayáhu descrevendo uma “alma” que dá à luz. A palavra “alma” sempre significou uma mulher jovem, mas os teólogos cristãos séculos mais tarde traduziram-na como “virgem”. Isto relaciona o nascimento de Jesus com a idéia pagã do primeiro século, de mortais sendo impregnados por deuses.

    Wordpress Article Autoposter Plugin 4 Novembro, 2009 23:25
  • Porque eles esperam um messias líder, guerreiro, forte, nobre, de linhagem real, que vai restaurar os dias de glória de Israel, como no tempo de Davi, em que o império ia do Nilo ao Eufrates. O messias do judeu vai se impor pela força, não falando em amor, perdão, fraternidade e partilha, como Jesus fez. Em respeito aos cristãos – que hoje são mais em número do que eles – não falam mal abertamente, mas lá em Israel há os chamam os cristãos de “nazarenos”. Ou nomes não tão educados.

    peregrin 4 Novembro, 2009 23:25
  • !!!! “Segundo ele”.
    Na verdade somos todos iguais, com crenças diferentes, onde deveriamos respeitar uns aos outros. E não impor aquilo em que se acredita.
    bjss

    Mumu 4 Novembro, 2009 23:25
  • Porque eles tem um poko de sanidade ainda… esse negócio de messias tá com nada naum…. tem tantos profetas que passaram um mgm legal … por que se concentrar em um apenas?!

    biancalo 4 Novembro, 2009 23:25
  • Essa eu sabia e tem mais alguns detalhes. Mas como sempre muito interessante. Um dia os judeus irão mudar essa forma de crer.

    WP Robot 4 Novembro, 2009 23:25
  • Já tinha ouvido falar disso, foi legal ter visto novamente.

    Viollet Crispein 4 Novembro, 2009 23:25
  • Por que os judeus não aceitam Jesus como profeta?
    • Esta preparada:
    Já tenho a lista!
    Jesus não cumpriu as profecias relativas ao Messias
    O que espera-se que o Messias cumpra em sua chegada? A Bíblia diz que ele:
    – Construirá o Terceiro Templo (Ezequiel 37:26-28)
    – Reunirá todos os Judeus de volta na Terra de Israel (Isaías 43:5-6)
    – Trará uma era de paz mundial, fim do ódio, da opressão, do
    sofrimento e do mal-estar. Como está escrito: “Nação não levantará espada contra nação e o homem não aprenderá mais a fazer guerra.” (Isaías 2:4)
    – Espalhara conhecimento universal a respeito do D’us de Israel, unindo toda a raça humana numa só. Como está dito: “D’us será o Rei sobre todo o mundo e neste dia, D’us será único e Seu nome será único.” (Zacarias 14:9)
    O fato histórico é que Jesus não cumpriu nenhuma destas profecias messiânicas.
    O Cristianismo contradiz a teologia judaica
    – D’us como trindade
    A idéia cristã da Trindade Divina divide D’us entre três entes
    distintos: o Pai, o Filho e o Espírito Santo (Mateus 28:19)
    Constrastando isto com o Shmá, a das bases da crença judaica: “Ouve Israel, o Senhor é nosso D’us, o Senhor é Um” (Deuteronômio 6:4). Os Judeus declaram a unidade de D’us diariamente, escrevem-na em suas portas (mezuzot), e a representam em seus corações e cabeças (tefilin).
    Esta constatação da unidade divina é a primeira frase que
    uma criança judia deve aprender, e a última prece ditas antes de morrer.
    Segundo a lei judaica, o serviço religioso para um D’us dividido em três partes é considerado idolatria – um dos mandamentos pelo qual o Judeu deve preferir a morte a ter que transgredir. Isto explica porque durante a Inquisição e outros momentos da história os Judeus preferiram a morte à conversão.
    – Homem como D’us
    Os cristãos acreditam que D’us desceu à Terra na forma humana, como diz Jesus: “Eu e o Pai somos um.” (João 10:30).
    Maimônides dedica a maior parte de seu “Guia dos Perplexos” à idéia fundamental de que D’us é incorpóreo, ou seja, não assume nenhuma forma física. D’us é eterno, além do conceito de tempo. É infinito, além do conceito de espaço. Ele não pode nascer ou morrer. Dizer que
    D’us assume uma forma humana diminui sua divindade e sua unidade. Como diz a Torá: “D’us não é um mortal.” (Números 23:19).
    O Judaísmo diz que o Messias nascerá de pais humanos, com atributos físicos normais, como qualquer outro ser humano. Ele não será um semi-deus, e não possuirá características sobre-naturais. De fato, a cada geração há um indivíduo com características que podem levá-lo ao
    papel de Messias. Maimônides – Leis dos Reis 11:3).
    – Intermediário para a Oração
    Uma das bases da crença cristã é que as orações são dirigidas a D’us através de um intermediário, ou seja, a confissão de pecados ao sacerdote. O próprio Jesus é um intermediário: “Nenhum homem chegará ao Pai a não ser eu.”
    No Judaísmo, a reza é um assunto pessoal, entre cada indivíduo e D’us. Como diz a Bíblia: “D’us está próximo de todos que chamam por Ele.” (Salmos 145:18). Além do mais, os Dez Mandamentos dizem: “Vocês não devem ter nenhum outro deus perante a Mim”, isto é, é proibido
    que haja um intermediário entre D’us e o homem. (Maimônides – Leis da Idolatria cap. 1).
    – Envolvimento com o Mundo Físico
    O Cristianismo vê o mundo físico como pecado que deve ser evitado. Maria, a mulher mais sagrada do Cristianismo é vista como virgem. Padres e freiras são celibatários. E monastérios são em locais afastados e isolados.
    Em contraste, o Judaísmo acredita que D’us criou o mundo não para nos frustrar, mas para nosso prazer. A espiritualidade judaica vem da capacidade de viver no mundo mundano de uma maneira que eleva a alma.
    Sexo, num contexto adequado, é um dos atos mais sagrados que podemos fazer.
    O Talmud diz que se uma pessoa tem a oportunidade de experimentar uma nova fruta e se recusa a fazê-lo, ele terá prestar contas no Mundo Vindouro.
    As escolas rabínicas ensinam como viver adequadamente nas atividades comerciais. O judaísmo não prega o retiro da vida cotidiana, mas sim sua elevação.
    Jesus não possuia as qualificações pessoais esperadas no Messias
    – Messias como profeta
    Jesus não era um profeta. Profecias só podem acontecer na Terra de Israel, quando a terra é habitada por uma maioria judaica. Durante o período de Ezra (300 aEC), a maioria dos Judeus se recusou a voltar da Babilônia para Israel, portanto as profecias terminaram com a morte dos últimos profetas: Hagai, Zacarias e Malaquias.
    Jesus apareceu em cena cerca de 300 anos depois que as profecias haviam terminado.
    – Descendência de David
    O Messias deve ser descendente, por parte de pai, do Rei David (Genêsis 49:10 e Isaías 11:1). De acordo com o Cristianismo, Jesus nasceu de uma mãe virgem e portanto não tinha pai, não podendo descender do Rei David.
    – Observância da Torá
    O Messias levará o Povo Judeu para o cumprimento total das leis da Torá. A Torá declara que todas

    Leonardo L 4 Novembro, 2009 23:25