As Palavras do Senhor

É Verdade Que, Para As Testemunhas De Jeová, Jesus é O Mediador Entre Deus E Apenas 144mil Pessoas Escolhidas?

Apesar de o Apóstolo Paulo ter dito:
“Há um só Deus e um só mediador entre Deus e homens, um homem, Cristo Jesus”.
As Testemunhas de Jeová, na Revista A Sentinela de 15/02/2003, pág 22, par. 9, dizem que:
“As partes do novo pacto são Deus e os ungidos. Jesus é o mediador.”
Na Revista A Sentinela de 15/09/1979 pág 32, ainda dizem que:
“em estrito sentido bíblico, Jesus é o “mediador” APENAS dos cristãos ungidos”.
Eles dizem também que esses ungidos são apenas 144.000 pessoas, em número. A população de uma pequena cidade.
Estou enganado ou isto é o que se deve entender? Que apenas 144.000 pessoas têm Jesus como mediador entre elas e Deus?
E as outras 6 bilhões de pessoas, inclusive as próprias Testemunhas de Jeová que somam quase 7 milhões no mundo todo? Estão jogadas à própria sorte?


Comments to É Verdade Que, Para As Testemunhas De Jeová, Jesus é O Mediador Entre Deus E Apenas 144mil Pessoas Escolhidas?

  • Com certeza Deus não é só Deus de 144.000 pessoas.

    Samsunna 3 Agosto, 2009 12:02
  • ungidos :são todos os salvos por Cristo
    I Corintios 1: 21 Mas o que nos confirma convosco em Cristo, e o que nos ungiu ,é Deus.
    Os 144.000 quem são?
    Resumo: o texto de apocalipse 7:1-8
    indentifica sendo as dozes tribos de Israel,não se pode acrescentar mais nada,a grande dificuldade é crêr nisto por muitos ,lendo apocalipse 12: 17 nos dá uma idéia que a mulher é as dozes tribos, lembra se que Israel era chamado por Deus de mulher e Deus marido, continuando no texto o diabo não vai conseguir tragar as doze tribos(os 144.000) e vai atacar ,perseguir a sua descendencia que serãos os judeus que na epoca crerão em Cristo.

    o biblico 3 Agosto, 2009 12:02
  • Hebreus 9, 22, “Com efeito, quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam como sangue, e sem derramamento de sangue, não há remissão de pecados.”
    Comentário: Quanto a exceções permitidas na lei para a exigência de sangue na purificação. Referências: Lev. 5: 11 e 13 e Números. 16:46 e 31:50.
    Apocalipse 21: 1 e 2. “Vi novo céu e nova terra”…………….. 2 “Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus, ataviada como noiva adornada para o seu esposo”
    2 Pedro 3:7,10 e 12. Hebreus 12: 22 e 24. Apoc 21: 9 e 10. Jo 14:2 e Apoc 22: 5
    Abraços amigão!!!!!

    Healthcare Reform NOW! 3 Agosto, 2009 12:02
  • Israel carnal tipificou a Israel Maior, que é espiritual e representa toda a humanidade espiritualmente circuncisa, liberta dos liames prepuciais do corpo mortal. Assim como o velho pacto intermediado por Moisés se aplicou a todos os israelitas, que representavam a humanidade adâmica, o novo pacto mediado por Cristo se aplica a todo o rebanho humano com vistas à vida eterna incorruptível de súditos ou reis-sacerdotais da Nova Jerusalém. Na terra, mesmo cumprindo seus dias como arvores milenares e libertos do desgaste da velhice precoce, uma grande multidão viverá na expectativa da libertação da matéria abalável para a melhor ressurreição como colunas inabaláveis do Templo de Jeová. É perigoso colocar remendo novo em vestido velho e usar os dois como se fossem a mesma roupa. Meu Deus! para quê complicar o que é tão simples? Não faz mal. Deus é Espírito e quer que seus adoradores o sirvam em espírito e verdade, não como faziam no antigo pacto. E Cristo é nosso mediador, sim!, e todos nós (não apenas um pequeno rebanho) atingiremos, num dia ainda bastante remoto, a perfeição dos filhos espirituais de Deus como genuínos messias. Jeová providenciou seu verdadeiro Reino desde a fundação do mundo e lá permanecem todos que são nomeados filhos da Luz desde as trevas dos tempos. Não é algo que só aconteceria numa determinada época futura: ocorre fora do fluxo do tempo, no eterno hoje sabático dos libertos filhos de Deus. Um dia inevitavelmente enfrentaremos o que for necessário afim de desaprender muitas das interpretações pessoais e parciais contidas nas Escrituras Judaicas e tidas como verdade absoluta. Esse dia está tão próximo de cada um quanto o fim de sua sobrevida na terra. Cessemos de nos preocupar com isso. Deus apenas roga que perseveremos na prática do perfeito amor sem preconceitos aos nossos semelhantes como Jesus nos ensinou. O amor em TUDO crê (1a. Cor, 13: 7) ou seja, para o sábio todas as crenças parciais são irrelevantes se conduzem, mesmo aos trancos e barrancos, à montanha da espiritualidade que um dia permanecerá sobre toda a terra. Não é gostoso ter essa esperança? Um fraterno abraço a todos.

    carlosos 3 Agosto, 2009 12:02
  • Essa questão de exclusividade é algo comum entre as igrejas fundamentalistas e as TJs não poderiam ficar de fora disso. Como todo grupo exclusivista e que prega que somente eles estão com a VERDADE universal essa afirmação de um grupo seleto e literal de 144.000 (vale ressaltar que é só de Testemunha de Jeová viu) apenas visa apoiar e tentar dar respaldo a um grupo de homens americanos que controlam tudo ao redor do mundo, ou seja, a velha tática de que se vou contra essa idéia vou contra Deus e na realidade estamos falando de homens imperfeitos, mas que a maioria das TJs endeusa como “inspirados”.
    Olha só o que as publicações a Torre de Vigia falam disso:
    cap. 1 pp. 10-11 par. 16 O desejo de paz e segurança mundiais
    “Do mesmo modo, o Moisés Maior, Jesus Cristo, não é o Mediador entre Jeová Deus e toda a humanidade. Ele é o Mediador entre seu Pai celestial, Jeová Deus, e a nação do Israel espiritual, que está limitado a 144.000 membros”.

    pascoaln 3 Agosto, 2009 12:02
  • Faça um teste: pergunte a 10 testemunhas-de-jeová quem é o mediador entre Deus e os homens e provavelmente as 10 responderão: Cristo Jesus.
    A maioria delas nem se dá conta de que o ensino oficial da organização religiosa a qual pertencem restringe esta aplicação apenas aos “ungidos”, os tais 144.000.
    Entretanto, argumentar que Cristo é mediador somente daqueles que compõe um literal e seleto grupo de 144.000 (todos escolhidos nas fileiras de testemunhas-de-jeová) seria minimizar o papel de Cristo Jesus pelos humanos imperfeitos e pecadores. Biblicamente falando …

    Percy Harding 3 Agosto, 2009 12:02
  • Relembram a cena,chamada a Última Ceia,celebrada entre Jesus e os discípulos?Foi na última noite da sua vida aqui na terra..Podemos apreciar que,depois de três anos e meio de pregação,so tinha ajuntado aqueles que o acompanharam essa noite!!Ou,será que outros homens haviam já acreditado nele e eram também chamados de cristãos?A Bíblia registra so 11,tendo já tirado a Judas Iscariote,o traidor..Mas,como assim?.Se depois de três anos de pregação,muitos já eram cristãos.por qual motivo,somente este pequeno grupo de pessoas foi o escolhido por Jesus,para celebrar a santa ceia? Assim diz em todas as Bíblias.Agora,estamos relembrando algo que foi impresso fazem dezenove anos..e as coisas podem mudar…irmos num aprendizado progressivo da verdade,acaso,alguém pretende fazer de conta que a inquisição,um assunto católico da idade meia,tem alguma coisa de importância nos dias de hoje?Vamos matar os católicos atuais,por um assunto que se passou fazem mais de 500 anos?Mas,vamos lá,nas Bíblias católicas, se faz referencia aos 144000,e nas evangélicas também,que é o pequeno rebanho que vai governar junto com Cristo,desde o céu.
    e a grande multidão,na terra,serão aqueles que serão governados por Deus e os 144000….mas,não é que os TJ dizem isso,é a Bíblia,qualquer Bíblia,mas,podemos escolher pelo fato de dizer que é mentira também

    frostush 3 Agosto, 2009 12:02
  • A BIBLIA NOS MOSTRA QUE O ÚNICO MEDIADOR ENTRE O HOMEM E DEUS,É JESUS CRISTO,ISSO NÃO HÁ DÚVIDA,MAS NÃO SÓ PARA OS 144.000,MAS PARA TODOS DA GRANDE MULTIDÃO QUE JOÃO VIU NA SUA VISÃO EM APOCALIPSE(REVELAÇÃO) 7:9,13,14.A DIFERENÇA É QUE OS DA GRANDE MULTIDÃO SERÃO ABENÇOADOS NO PARAISO AQUI NA TERRA, E OS 144.000 SERÃO REIS E SACERDOTES NO CÉU(APOCALIPSE OU REVELAÇÃO 5:10) E GONVERNARÃO COM CRISTO SOBRE A TERRA.ASSIM COMO JEOVÁ INTENCIONOU DESDE O PRINCÍPIO.

    LUCY 3 Agosto, 2009 12:02
  • Pai mesmo é aquele q ama todos os seus filhos,mesmo q alguns “trabalhem ” em Brasília.

    kpc559b0 3 Agosto, 2009 12:02
  • Embora o texto que vc citou de 1 Timoteo nos informe que Jesus é mediador entre Deus e os homens, esse texto não nos informa DO QUE JESUS É MEDIADOR. além do mais, outro fator que levamos em consideração é que essa é a sexta das seis ocorrências da palavra mediador nas cartas do apostolo Paulo. Todas as ocorrências dessa palavra, feitas anteriormente em referencia a Jesus têm a ver com o papel que ele desempenha no NOVO PACTO. Veja por exemplo o que diz Hebreu 9:15:
    ?De modo que é por isso que ELE É MEDIADOR DUM NOVO PACTO, a fim de que, por ter havido uma morte para o [seu] livramento, por meio de resgate, das transgressões sob o PACTO ANTERIOR, os chamados recebessem a promessa da herança eterna.
    Assim, embora 1 TIMOTEO 2:5,6 apenas diga que JESUS É MEDIADOR entre Deus e os homens, NÃO NOS DIZENDO DO QUE ELE É MEDIADOR, cremos que, devido ao fato de que em todas as outras vezes que a PALAVRA MEDIADOR foi USADA EM REFERENCIA A JESUS, essa DESCREVIA SEU PAPEL DESEMPENHADO NO NOVO PACTO, é muito provável que quando Paulo usou essa palavra em 1 timoteo 2:5,6, ele também estava se referindo a esse papel de Jesus, a saber: o de mediador do novo pacto, e deve ter sido assim que Timoteo entendeu tambem.
    Pois bem, uma vez que já sabemos que Jesus é mediador do novo pacto, resta-nos saber agora o que é esse novo pacto e quem está incluído nele.
    O NOVO PACTO
    O novo pacto foi o pacto que substituiu o pacto anterior, mencionado em hebreus 9:15. esse pacto anterior foi estabelecido entre Deus e a antiga nação de Israel(êxodo 24:1-18). E o novo pacto? Foi estabelecido entre Deus e quem? Deixemos que JEREMIAS 31:31 nos responda:
    ?“Eis que vêm dias”, é a pronunciação de Jeová, “e eu vou concluir um NOVO PACTO COM A CASA DE ISRAEL e com a casa de Judá
    conforme mostra o texto, o novo pacto seria concluído entre Deus e a nação de Israel, mas não o Israel carnal, com quem o pacto anterior havia sido concluído, e sim com O ISRAEL ESPIRITUAL.
    Diferentemente do Israel carnal, o Israel espiritual seria composto por pessoas de todas as nações. De fato, lá em Romanos 8: 28, 29 Paulo nos diz que Judeu não é aquele que o é por fora e sim aquele que o é no intimo. Além do que lá em 2 corintios 3:6, Paulo falou de si mesmo e da inteira congregação corinta como ministros dum novo pacto. isso prova por a + b que o Israel mencionado em Jeremias 31:31, com quem Deus concluiria o novo pacto, é um espiritual, composto por pessoas de todas as nações, haja visto que a congregação corinta era composta principalmente por gregos.
    Uma coisa digna de nota com respeito ao ISRAEL ESPIRITUAL com quem Deus concluiu o NOVO PACTO tendo JESUS COMO MEDIADOR, é que seu numero é limitado.
    Em revelação 7:4, o apostolo João teve uma visão a qual ele descreveu a seguinte maneira:
    ?E ouvi o número dos selados: CENTO E QUARENTA E QUATRO MIL, selados DE TODA TRIBO DOS FILHOS DE ISRAEL:
    Como sabemos que o Israel mencionado em revelação 7:4 é o Israel espiritual e não o Israel carnal?
    Bem, em revelação 14:3 esses 144000 são chamados de PRIMÍCIAS, e na carta de Tiago capitulo 1, após o discípulo Tiago ter se referido aos seus concrentes no versículo 1 como “AS DOZE TRIBOS QUE ESTÃO ESPALHADAS”, no versículo 18 deste mesmo capitulo ele se refere também a estes como sendo PRIMÍCIAS. Assim, tanto no livro de Revelação como na carta de Tiago, o Israel espiritual é representado por 12 tribos. a diferença é que no Israel espiritual, cada tribo é composta por 12000 membros, totalizando 144000. Portanto, tendo exposto todos estes fatos, acho que agora posso exprimir minha conclusão.
    CONCLUSÃO
    ??????????
    Embora 1 timóteo 2:5,6 só diga que Jesus é mediador, há fortes razões para crer que esse texto se refere ao seu papel de mediador do novo pacto. O novo pacto foi concluído entre Deus e o Israel espiritual. O Israel espiritual é composto por pessoas de todas as nações e possui numero limitado, a saber: 144000. então, se Jesus é mediador do novo pacto, e apenas 144000 pessoas estão incluídas nele, é lógico que ele é mediador apenas entre Deus esses.
    O motivo de Paulo ter usado a expressão MEDIADOR ENTRE DEUS E OS HOMENS é que ele escrevia segundo os fatos do primeiro século do cristianismo, durante o qual o novo pacto foi posto em vigor. “HOMENS” de todas as nacionalidades, judeus, samaritanos e gentios incircuncisos já haviam sido introduzidos nele, depois de terem sido feitos parte do Israel espiritual.

    FRANZ 3 Agosto, 2009 12:02
  • O termo “mediador” ocorre apenas seis vezes nas Escrituras Gregas Cristãs, e biblicamente é sempre usado com respeito a um pacto formal.
    Moisés foi o “mediador” do pacto da Lei celebrado entre Deus e a nação de Israel. (Gál. 3:19, 20) Cristo, porém, é o “mediador dum novo pacto” entre Jeová e o Israel espiritual, o “Israel de Deus”, que servirá como reis e sacerdotes no céu, junto com Jesus. (Heb. 8:6; 9:15; 12:24; Gál. 6:16) Num período em que Deus estava escolhendo os incluídos neste novo pacto, o apóstolo Paulo escreveu que Cristo era “um só mediador entre Deus e os homens”. (1 Tim. 2:5) Paulo usou aqui razoavelmente a palavra “mediador” da mesma maneira como fez nas outras cinco vezes, que ocorreram antes de escrever 1 Timóteo 2:5, referindo-se aos que então estavam sendo aceitos no novo pacto, do qual Cristo é “mediador”. De modo que, em estrito sentido bíblico, Jesus é o “mediador” apenas dos cristãos ungidos.
    O novo pacto terminará com a glorificação dos do restante que hoje estão neste pacto mediado por Cristo. A “grande multidão” de “outras ovelhas” que se forma hoje não está neste novo pacto. Mas, pela sua associação com o “pequeno rebanho” dos que ainda estão neste pacto eles obtêm os benefícios que resultam deste novo pacto. Durante o milênio, Jesus Cristo será seu rei, sumo sacerdote e juiz. Mais informação detalhada pode ser encontrada em Ajuda ao Entendimento da Bíblia, em inglês, páginas 1129 e 1130, sob “Mediador”; também em O “Propósito Eterno” de Deus Triunfa Agora Para o Bem do Homem, página 159, § 10; também A Sentinela, de 15 de agosto de i966, páginas 489 a 506; 15 de junho de 1973, páginas 365 e 366, debaixo do subtítulo “Encaminhamento Para um Novo Pacto”; e 1.° de março de 1974, páginas 155 e 156, sob o subtítulo “O Novo Pacto”.

    Marcio M 3 Agosto, 2009 12:02