Home » Sobre Jesus » Jesus Cristo Veio Cumprir Ou Anular A Lei Do Velho Testamento?

Jesus Cristo Veio Cumprir Ou Anular A Lei Do Velho Testamento?

Há dois textos aparentemente conflitantes: No Evangelho de Mateus, capítulo 5, versículos 17-19, Jesus diz que Ele não veio para destruir a Lei ou os profetas, mas veio para cumprir.
O outro texto está na segunda carta do apóstolo Paulo aos Coríntios, capítulo 3, versículo 14, dizendo que o Velho Testamento foi por Cristo abolido.
Como interpretar esse aparente conflito?

Happy Clomid Stories Foods That Help With Menopause Extenze Iv Toradol Maximum Cialis Dose Maximum Cialis Dose Female Viagra Uk Buy Viagra Without Consultant Uk Sites No Prescription Viagra Canada Cialis Erectile Disfunction Cialis Sales Meds Pharmacy Cialis Wiki Discount Viagra In The Usa Tadalafil Cheap Sildenafil Tablets How Effective Is Clomid For Pregnancy Cialis For Daily Use Side Effects Somas Clomid Directions For Use
  • Anonymous

    Jesus veio para cumprir a Lei, dando a ela o REAL SENTIDO, que muitas vezes não era compreendido pelos doutores daquele tempo.
    Ao mesmo tempo, ao instaurar a GRAÇA, liberta aqueles condenados pela lei.

  • Anonymous

    veio cumprir e só veio abolir lá na cruz onde se diz: está tudo consumado e o véu da lei rasgou pelo meio,
    No caso de II Corintios 3:14 diz que Cristo abolui a os dez mandamentos ,para entender leia I I Corintios 3:13 onde diz que Moisés colocou um véu para que os filhos de Israel olhassem firmemente para o fim daquilo que era transitorio. quem era? claro que era os dez mandamentos. sabe o que acontece quandos os judeus se convertem a Cristo o véu é tirado I I Corintios 3:16 sabe até hoje os judeus estão com o véu , só é tirados deles ao aceitar Jesus.
    não tem nada de conflitantes ´só crê.

  • Waldir – SHALOM ADONAI ECHAD!

    Não há conflito algum…
    Em Mateus cap. 5… Jesus disse que veio cumprir a LEI E OS PROFETAS…
    Paulo explendidamente revela que Jesus cravou a Lei e os mandamentos na cruz, cumprindo exatamente a Lei e os relatos proféticos sobre sua morte e redenção dos homens que cressem. Efésios 2:
    14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade,
    15 isto é, a lei dos mandamentos contidos em ordenanças, para criar, em si mesmo, dos dois um novo homem, assim fazendo a paz,
    Para você entender isto, basta ler nos textos da crucificação, onde Jesus bradou: ESTÁ CUMPRIDO ou… ESTÁ CONSUMADO!
    A palavra no original GREGO é TETELESTAI = E esta palavra é aplicada em termos jurídicos como: Aquele que pagou a sentença; Aquele que pagou todas as dívidas em lugar de outrem.
    Ou seja…
    Tudo foi consumado em Cristo Jesus!
    Um abraço!
    Waldir Alves

  • Anonymous

    Como foram passagens escritas por pessoas diferentes dá pra confundir, mas acho que ele veio modificar alguns valores perdidos e simplificar as como naquela parte que ele diz algo do tipo: “amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, eis toda a leis”.
    Mas até hoje a gente confunde tudo e ainda usa o nome dele para fazer guerra, desde as Cruzadas até o xilique de alguns evangélicos de hoje… que demonstram amor ao próximo se esse próximo pensar como ele, e é claro ser da mesma comunidade.

  • Vieira Brasil

    Simples,
    Veja seja atento:
    Jesus não veio destruir(passar por cima,ignorar)a Lei e nem os Profetas,
    João foi o ultimo profeta,
    Jesus foi apos João,
    portanto durante o ministerio de Jesus aqui na Terra já não existia profeta,a Lei ainda estava em vigor,porém Ele a cumprio,com sua morte a Lei foi cravada com Ele na cruz.
    Com isso hoje não vivemos mas a Lei pois ela foi morta juntamente com Cristo,pela GRAÇA de Deus é que hoje vivemos.

  • Anonymous

    Veio CUMPRIR. E cumprida ela está! Por isso, vivemos NÃO MAIS debaixo da Lei e sim debaixo da GRAÇA.
    JESUS CUMPRIU TODA A LEI E OS PROFETAS!
    Mas nós vivemos debaixo da GRAÇA.
    A lei e os profetas duraram até João e a partir de Jesus nos é ANUNCIADO O REINO DE DEUS.

  • Petrus

    Eu interpreto da seguinte forma: O evangelho de Mateus são as palavras do próprio Jesus. A carta de Paulo é uma carta de Paulo, um cara qualquer que se dizia sob a influência divina!
    Então, o que se conclui…

  • Marinhei

    Primeiro caso- Jesus como bom judeu teria de cumprir a lei
    Segundo caso- Nós ex gentios não não vamos seguir o que era para os judeus, para nós, Paulo explica, esqueça das leis judaicas, esta abolido. Espero ter te ajudado de maneira bem simples
    Um abraço

  • Anonymous

    Mano, esse velho Testamento a que Paulo se refere é a Velha Aliança de Deus com Israel (que era só com Israel), para ser com o resto do mundo (sacrificios, pois o sacrificio perfeito foi feito, a crucificação de Cristo).

  • eldemarm

    JESUS CRISTO veio cumprir a lei, como todos que antecederam a ele, para que troussese, a salvaçao, ou seja uma nova lei que destroi a lei do pecado.

  • Soraya Moraes – Grammy 2008

    Cumprir a tanach e estabelecer uma nova alianca mediante o seu sacrificio e sangue, um novo testamento para os seus seguidores, deixando a tanach para os judeus viverem e cumprirem.

  • Quero S

    Ele veio para cumprir a lei,e a cumpriu .
    o véu (lei) que separava ,já não separa mais.

  • OHMYGOD!

    Veio para botar mais lenha na fogueira, criar mais divisões, dar ensejo a mais guerras santas… e morreu em vão, tadinho.

  • Irapoan

    Liga pra isso, não.
    Veja como ele acabou:
    Crucificado, numa tanguinha indecente, coroado de espinhos …

  • ?Libertando os Cativos?

    Cumprir.:
    Mas saibam como reconhecer uma seita:
    Foi o que o fundador do adventismo fez: William Miller(1782 – 1849)Em 1818 marcou a data para a vina de Cristo para 21/03/1843.
    O dia veio e nada aconteceu. Depois mudou para 22 de outubro de 1844, onde errou denovo.
    Ele se baseou em (Daniel 8:14) – as 2.300 tardes e manhãs.Logo se arrependeu e veio servir à Cristo. Então levantou outro grupo.
    Os príncipais eram:
    * Hiram Edson – Revelações
    * Joseph Bates – Observava o Sábado
    * James Whaite com sua esposa “Ellen Gold Whaite”, com sua visões.
    Juntos fundaram em 1863 o Movimento Adventista.
    Refurtação:
    *Jesus Guardou o Sábado – (Lc 4:16)
    * Teve seu nascimento 2º a Lei: (Dt 18:15)
    * Nasceu sob a Lei: (Gl 4:4)
    * Foi apresentado no Templo 2º a Lei: (Lc 2:22)
    * Foi circuncidado 2º a Lei: (Lc 2:21)
    * Ofereceu Sacrifício 2º a Lei: (Lc 2:24)
    * Foi Odiado 2º a Lei: (Jo 15:25)
    * Foi morto 2º a Lei: (Jo 19:7)
    * Morreu e Reesuscitou 2º a Lei: (Lc 24:44-46)
    * Foi o ùnico que cumpriu a Lei: (Mt 5:17; Jo 19:30; Rm 10:4)
    * Era Senhor do Sábado: (Mt 12:18)
    * Escolheu esse dia para trabalhar: (Jo 5:17)
    * Jesus defendeu seua discípulos por terem trabalhado no sábado:(Mt 12:1-8)
    * Jesus é o nosso Sábado: “Descanso”(Mt 11:28)
    * Por isso Ele não guardava o sábado:(Jo 9:16).
    E VOCÊ; CUMPRE TODOS ESSES MANDAMENTOS?

  • Tompson Rogério Vieira

    A maneira de encararmos hoje a Lei é influenciada pelo entendimento que temos sobre o motivo de Jeová ter dado a Israel um código de leis. As Escrituras explicam: “Ela foi acrescentada [ao pacto abraâmico] para tornar manifestas as transgressões, até que chegasse o descendente a quem se fizera a promessa . . . A Lei, por conseguinte, tornou-se o nosso tutor, conduzindo a Cristo, para que fôssemos declarados justos devido à fé.” (Gál. 3:19, 24) Como fazia isso a Lei?
    Por estabelecer um modelo perfeito, abrangendo as diversas facetas da vida, mostrava que os judeus eram pecadores. Tornava-se evidente que, apesar de todas as boas intenções e esforços diligentes, eles não podiam satisfazer os requisitos dela. Usando os judeus como exemplo da família humana imperfeita, a Lei expunha todo o mundo, inclusive cada um de nós, como pecadores, sujeitos à punição por Deus. (Rom. 3:19, 20) Salientava assim a necessidade dum salvador para a humanidade, e conduzia os fiéis a Jesus Cristo, como este Salvador. De que modo? Identificou-o como o único que cumpriu a Lei perfeitamente, sendo assim o único humano que não tinha pecado. Os sacrifícios de animais, sob a Lei, tinham apenas um valor limitado, mas Jesus, como homem perfeito, podia oferecer a sua vida como sacrifício que eliminaria realmente o pecado e abriria o caminho para a vida eterna de todos os que exercessem fé. — João 1:29; 3:16; 1 Ped. 1:18, 19.
    Com este fundo histórico em mente, como responderia às seguintes perguntas?
    Destinava-se a Lei mosaica de algum modo a ser obrigatória para toda a humanidade? (Sal. 147:19, 20; Êxo. 31:12, 13)
    Deu Jeová alguma indicação a Israel de que algum dia o pacto da Lei havia de terminar? (Jer. 31:31-33; Heb. 8:13)
    Será que os Dez Mandamentos, inclusive o requisito de se observar o sábado semanal, permaneceram em vigor depois de se cancelar o restante da Lei? (Col. 2:13, 14, 16; 2 Cor. 3:7-11 [conforme tornado claro por Êxodo 34:28-30]; Rom. 7:6, 7)
    Por que meios terminou Jeová o pacto da Lei? (Col. 2:13-17; Mat. 5:17, 18; Rom. 10:4)
    Em vista disso, em que implica o argumento de que a Lei mosaica ainda está em vigor? Na realidade, constitui um repúdio da fé em Jesus Cristo. Por quê? Porque tal conceito rejeita o fato de Jesus ter cumprido a Lei, abrindo assim o caminho para Deus terminá-la. Àqueles que professavam ser cristãos, mas que se deixavam levar por argumentos a favor da guarda da Lei, ou de alguma parte dela, o apóstolo Paulo escreveu incisivamente: “Estais apartados de Cristo, quem quer que sejais que tenteis ser declarados justos por meio de lei; decaístes da sua benignidade imerecida.” — Gál. 5:4; veja também Romanos 10:2-4.
    Os que argumentam a favor da continuidade de certos aspectos da Lei não entendem plenamente que a condição justa perante Deus não depende das obras da Lei que a pessoa faz, mas da fé que ela tem no valor do sacrifício de Jesus. (Gál. 3:11, 12) Acham que a pessoa precisa mostrar-se justa por meio de tais obras — algo que é impossível a humanos imperfeitos. De fato, é importante fazer obras em obediência às ordens de Deus e de Cristo que se aplicam aos cristãos. (Tia. 2:15-17; Mat. 28:19, 20) Elas são a maneira de demonstrarmos nosso amor e nossa fé, e a falta deles indicaria que nossa fé está morta. Mas não podemos merecer a salvação, não importa quanto nos esforcemos. Nenhuma salvação do pecado e da morte seria possível sem o sacrifício de Jesus Cristo. A vida eterna é assim uma dádiva de Deus por meio de Jesus Cristo, uma expressão de extraordinária benignidade imerecida, e não o pagamento por nossas obras. — Efé. 2:8, 9; Rom. 3:23, 24; 6:23.
    Quando a questão da aplicação da Lei mosaica aos cristãos gentios foi apresentada ao corpo governante em Jerusalém, no primeiro século, a decisão deste estava em harmonia com esses fatos. Eles reconheceram que Jeová não exigia que os crentes gentios realizassem obras em obediência à Lei mosaica antes de se derramar sobre eles espírito santo. A decisão desse corpo governante alistou como “coisas necessárias” certas proibições que estavam em harmonia com essa Lei, mas que se baseavam no registro bíblico sobre eventos que antecederam à Lei. De modo que não se impôs aos cristãos gentios a responsabilidade de se harmonizarem com a Lei mosaica ou com parte dela, mas, antes, confirmaram-se as normas reconhecidas já antes de Moisés. — Atos 15:28, 29; veja Gênesis 9:3, 4; 34:2-7; 35:2-5.
    Depois de Pentecostes de 33 EC, nem mesmo os próprios judeus eram obrigados por Deus a continuarem a acatar o código da Lei mosaica. E os judeus que exerciam fé viam nisso um motivo especial para se alegrarem. Por quê? Embora os gentios também fossem pecadores e assim estivessem morrendo, só os judeus haviam sofrido a maldição de Deus por serem violadores do pacto da Lei. Mas, pela maneira em que Cristo morreu — pregado numa estaca como se fosse um criminoso amaldiçoado — ele tomou o lugar dos judeus que tivessem fé nele e proveu-lhes o livramento da penalidade incorrida em resultado de sua desobediência à Lei. (Gál. 3:10-13) Proveu-lhes assim um perdão que eles nunca teriam tido sob a Lei mosaica. — Atos 13:38, 39.
    A Lei, de fato, havia separado os judeus dos gentios. Impunham-se aos judeus requisitos que não se aplicavam aos gentios, e os gentios incircuncisos estavam impedidos de participar plenamente com os judeus na sua adoração. (Veja Êxodo 12:48; Atos 10:28.) Mas, uma vez que a Lei tinha cumprido seu objetivo e fora removida, era possível que os judeus e os gentios incircuncisos fossem unidos por meio de Cristo na adoração do único Deus verdadeiro. — Efé. 2:11-18.

  • Pergres

    Jesus veio cumprir o que o Velho Testamento falava dele.
    ALTEROU muitos costumes que os judeus tinham, como as “leis cerimoniais” ou os “ritos” que usavam para a ADORAÇÃO a Deus.
    Esses ritos ou observâncias dos judeus é que foram “abolidos”, conforme o apóstolo Paulo disse em 2 Coríntios 3:14, ou seja, depois de Jesus NÃO precisariam mais guardar “os sábados, as luas novas, as festas (exceto a Páscoa), o casamento entre cunhados, as genealogias, etc.
    Quando começou a sua obra, o próprio Cristo disse que com Moisés tinha sido de um jeito e que, com ele, seria de outro. Jesus disse, várias vezes:
    “Ouvistes o que foi dito aos antigos… EU, porém, vos digo…” (Mateus 5:21,27,33,43).
    Ele disse que “A lei e os profetas duraram até João (Batista)…” (Lucas 16:16).
    A finalidade da “lei de Moisés” foi a de CONDUZI-LOS até a chegada de Cristo (Gálatas 3:24,25 – Colossenses 2:16,17).
    Depois da chegada dele, portanto, o pacto seria mudado.
    Teriam outro modo de seguir os regulamentos.
    O próprio Moisés havia falado isso, em Deuteronômio 18:18,19, e os discípulos Pedro e Tiago o confirmaram em Atos 3:12-26 e 15:28,29.
    Com Moisés, haviam buscado territórios ou lugares geográficos.
    Com Jesus, precisariam se aperfeiçoar, para que pudessem buscar o Reino de Deus (Mateus 6:9,10,33 e 10:7,8).
    Teriam de agir de um modo muito DIFERENTE.
    Não poderiam mais, por exemplo, usar aquele lema antigo do “olho por olho”. Ao invés de “odiar o seu inimigo”, deveriam “amá-los” e, até, “bendizer a quem os perseguisse” (Mateus 5:38-48).
    Mas e numa guerra carnal, como ficaria?
    O apóstolo Paulo, que seguia a lei de Moisés corretamente (Filipenses 3:4-8) e que tinha sido um judeu VIOLENTO até se converter (Atos 8:1), explica:
    “Embora andem na carne, as armas do cristão não são carnais, pois a sua luta não é contra as pessoas, mas sim contra os RACIOCÍNIOS que elas têm em oposição a Deus” (2 Coríntios 10:3-6).
    Que diferença, não?
    Não é à toa que estranharam o que Cristo ensinava.
    O grande problema, porém, era a INTERPRETAÇÃO que faziam.
    Na ocasião do exílio em Babilônia, Jeremias 31:31-33 já tinha adiantado que chegaria um tempo em que “as leis seriam escritas no coração e não no papel”.
    Mas os judeus da época dos apóstolos pareciam NÃO entender, ainda, que Jeremias apontava para a chegada de Cristo e que, a partir dele, tal mudança ocorreria.
    Alguns anos depois da morte de Cristo, então, foi necessário escrever o que ficou conhecido como “aos Hebreus (ou aos israelitas)”.
    Como seu nome diz, tal escrito foi feito ESPECIALMENTE para eles, embora esclareça a todos, evidentemente.
    Na realidade, trata-se de um livro (ou de uma carta aberta), com várias e detalhadas explicações sobre as passagens do Velho Testamento, mostrando que, tanto ANTES como depois de ter sido dada a “lei de Moisés”, as Escrituras já apontavam para o Cristo. Inclusive a citação acima, de Jeremias, foi usada para deixar bem evidente a mudança de atitudes.
    Hebreus 8:1-13 conclui, de um modo claro:
    “SE aquele primeiro (pacto ou conjunto das leis) fora irrepreensível, NUNCA se teria buscado lugar para o segundo”.
    Não é evidente?
    Se Deus já tinha acertado tudo com o primeiro pacto, mediado por Moisés, NÃO precisaria fazer um NOVO pacto, mediado por Jesus (Hebreus 12:24 – 1 Timóteo 2:5,6).
    Inclusive o grandioso Abraão, patriarca hebreu, que foi considerado “amigo de Deus”, participou de uma “semelhança”, no sacrifício de seu filho Isaac.
    Aquilo mostrou o que Deus faria no futuro, quando sacrificaria o Seu único Filho (Jesus Cristo) em favor de toda a humanidade (Hebreus 11:17-19 – João 3:16).
    Incidentalmente, aí mostra que Deus e Cristo são DUAS pessoas diferentes.
    Todos sabem que Abraão e seu filho foram duas pessoas individuais, da mesma forma que todos os outros pais e filhos são duas pessoas diferentes, separadas uma da outra. No entanto, como Abrão e Isaque foram “semelhanças” de Deus e de Seu Filho, mostra que estes últimos também seriam seres individuais ou separados um do outro.