As Palavras do Senhor

Os Velhos E Criancas Também Não Foram Poupados No Exterminio Ordenado Por Deus Aos Israelenses Na Biblia?

Maravilhossimo Deus é este que instruiu o povo Israelense a aniquilar povos inteiros incluindo velhos e criancas! Eles também não eram filhos de Deus? Onde esta aquele Deus que tão exaustivamente consagra a extrema benvolencia e misericordia? por que Deus tinha uma fixação tão doentia por um povo que absolutamente não tem nada de transcedental? Este Deus tá mais politico do que nunca!! E os religosos ficam cheios de si quando falam destes trechos tão abominaveis da biblia como se estivessem falando de atos de uma estoneante beleza epica(especialmente os evangelicos)!! É mesmo que Deus existe-se, não tendo o mesmo, ordenado coisa tão banal como esta, não perde ainda a sua condenação em se omitir em fazer pois, alguma coisa para impedir que não só os vis israelenses promovesem a sua excepcional chacina em seu nome como também diversos outros povos e pessoas o fizeram!! Sinceramente, aqueles que dizem estarem matando em nome de Deus deveriam sofrer instantaneamente algum tipo de sanção divina! Entrementes, Deus é uma completa criação de nossas mentes humanas, e por isso, nunca poderemos esperar alguma efetiva intervenção dele a este mundo!

COMENTÁRIOS FACEBOOK

Comments to Os Velhos E Criancas Também Não Foram Poupados No Exterminio Ordenado Por Deus Aos Israelenses Na Biblia?

  • Esse Deus, que você de forma brilhante descreveu, nunca existiu! Esse Deus é um ser fictício, que serviu de personagem e instrumento de manipulação e do medo das massas. O Deus verdadeiro, é a luz do universo e não se envolve nem “manda” matar…Como acreditar nisso? Ficção, claro!

    kitalamy 18 Maio, 2009 5:26
  • Vc coloca Deus como um ser falível como os homens. Deus é Perfeição e por isso mesmo está a quilometros de anos-luz distante de nós. Temos a mania de apequenar Deus, quando devia ser ao contrário. Vide aquela frase infeliz que circula entre nós (Deus é fiel). Fiel ou infiel é o homem, Deus não tem paixões nem defeitos.
    Guerream em nome Dele mas não por sua ordem. Deus não autorizou extermínio nenhum, ao contrário, pediu que nos amássemos uns aos outros como a nós mesmos. Um de seus mandamentos manda não matar, mas o homem contraria a suas leis, que são imutáveis.

    Anónimo 18 Maio, 2009 5:26
  • Olha pq vc acredita q milhões de pessoas pelo mundo todo estão erradas? e q se milhares de pessoas dizem já ter tido uma experiencia com Deus é mentira ou fantasia? pq vc não tenta procurar encontra esse Deus de fantasias do loucos para ver se é realmente mentira, se vc confirmar isso vc se justifica dizendo eu procurei e não achei, agora não vem escrevendo essas coisas sem antes não ter tentado encontrar a existencia desse Deus q para muntos existe, esta vivo e fala com os seus e opera milagres impossiveis ao homem.

    Remo P 18 Maio, 2009 5:26
  • sim não foram…. e se fosem hj estariam vivos? obrigado. Se ainda tiver duvidas pode ir para o lado do diabo quem sabe ele é mais bonzinhu ^^ ¬¬

    lukas Pierre 18 Maio, 2009 5:26
  • Vai morrer na ignorância

    Anónimo 18 Maio, 2009 5:26
  • BEM COMO SUA PERGUNTA É GRANDE REQUER UMA RESPOSTA GRANDE, LEIA TUDO SE REALMENTE DESEJA UMA RESPOSTA SATISAFÁTORIA E LEIA COM MENTE ABERTA:
    Essa idéia do Deus do “Antigo Testamento” ser cruel e guerreiro permeia o pensamento de muitos. Conseqüentemente, algumas pessoas encaram até mesmo o Deus de amor do “Novo Testamento” como suspeito. Como poderia alguém sentir-se induzido a servir um Deus que parece ter dupla personalidade?
    “Todos os Seus Caminhos São Justiça”
    Os humanos, porém, dificilmente estão em condições de criticar as ações de Deus. Será que a criança compreende imediatamente por que seu pai a faz suportar a dor numa cadeira de dentista? De modo similar, talvez não compreendamos de início todas as ações de Deus. “Sabei que Jeová é Deus”, disse o salmista. “Foi ele quem nos fez, e não nós a nós mesmos.” — Salmo 100:3.
    Não seria tolo, então, concluir apressadamente que as ações de Deus são cruéis? “‘Os vossos pensamentos não são os meus pensamentos, nem os meus caminhos, os vossos caminhos’, é a pronunciação de Jeová. ‘Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim os meus caminhos são mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, do que os vossos pensamentos.’” (Isaías 55:8, 9) Ademais, a Bíblia nos assegura de que “todos os seus caminhos são justiça”. Jeová é identificado como “Deus de fidelidade e sem injustiça”. (Deuteronômio 32:4) Examinemos, portanto, alguns casos nos quais Deus achou apropriado executar julgamento.
    O Dilúvio
    “Jeová viu que a maldade do homem era abundante na terra e que toda inclinação dos pensamentos de seu coração era só má, todo o tempo.” (Gênesis 6:5) Assim era o mundo antediluviano. Sim, Jeová Deus “viu, pois, a terra e eis que estava arruinada, porque toda a carne havia arruinado seu caminho na terra”. (Gênesis 6:12) Alguns talvez argumentem que Deus deveria ter deixado as pessoas entregues a si mesmas, deixando-as fazer o que quisessem. Mas, ainda havia pessoas honestas e moralmente corretas na terra. Não teria sido cruel da parte de Deus permitir que os iníquos exterminassem o último vestígio de moralidade que restava na terra? Portanto, Deus providenciou que um dilúvio global eliminasse da terra seus arruinadores.
    Um Deus cruel não faria provisão alguma para a sobrevivência do homem ou dos animais. Contudo, Jeová o fez. Um Deus cruel nunca teria dado aviso do então iminente cataclismo. Todavia, ele designou Noé para ser “pregador da justiça” durante pelo menos uns 40 ou 50 anos! (2 Pedro 2:5) As pessoas podiam escolher a sobrevivência ou a morte.
    Sodoma e Gomorra
    Quando dois anjos visitaram Sodoma, os habitantes logo revelaram sua natureza pervertida. Os homens de Sodoma cercaram a casa de Ló, “desde o rapaz até o velho, todo o povo numa só turba. E chamavam a Ló e diziam-lhe: ‘Onde estão os homens que foram ter contigo hoje à noite? Traze-os para fora a nós, para que tenhamos relações com eles.’” (Gênesis 19:4, 5) Isto era ‘ir após a carne para uso desnatural’. — Judas 7; veja também Romanos 1:26, 27.
    Deus, “que pesquisa os corações”, viu que as cidades eram irrecuperáveis. Mereciam a destruição. (Romanos 8:27) Ora, nem mesmo dez homens justos podiam ser encontrados em Sodoma! (Gênesis 18:32) A conduta dos sodomitas representava verdadeira ameaça ao justo Ló e sua família. Portanto, salvar Deus a Ló e suas duas filhas foi um ato de amor! — Gênesis 19:12-26.
    Execução dos Cananeus
    Jeová prometeu a Abraão que sua descendência ocuparia por fim a terra de Canaã. Note, porém, que não ocorreria nenhuma execução nos dias de Abraão. Por que não? “Porque ainda não se completou o erro dos amorreus [a tribo cananéia dominante]”, disse Jeová. (Gênesis 15:16) Passar-se-iam uns 430 anos até que a iniqüidade dessa nação atingisse proporções tais que Moisés pudesse dizer: “É por causa da iniqüidade destas nações [de Canaã] que Jeová, teu Deus, as desaloja de diante de ti”. — Deuteronômio 9:5.
    O livro Arqueologia e o Velho Testamento (em inglês) diz: “A brutalidade, a lascívia e a licenciosidade da mitologia cananéia . . . deve ter feito ressaltar as piores tendências nos seus devotos e resultado em muitas das mais desmoralizadoras práticas daquele tempo, tais como a prostituição sagrada, o sacrifício de crianças e a adoração de serpentes . . . completa degeneração moral e religiosa.” Não obstante, os gibeonitas e os residentes de três outras cidades foram poupados. (Josué 9:17, 18] Teria um Deus cruel permitido isso?
    Dupla Personalidade?
    No entanto, alguns insistem em que o Deus do “Antigo Testamento” passou por uma mudança de personalidade no “Novo Testamento”. ‘Os ensinos de Jesus enfocavam o amor’, afirmam eles. — Mateus 5:39, 44, 45.
    Contudo, a destruição de Jerusalém, em 70 EC, sobreveio como julgamento da parte de Jeová, exatamente como predito por Jesus. (Mateus 23:37, 38; 24:2) Além disso, pessoas injustas, tais como Ananias, Safira e Herodes, foram mortas. Deus não mudara. (Atos 5:1-11; 12:21-23; Malaquias 3:6] Tampouco eram os ensinos de Jesus sobre o amor uma novidade. Muito tempo antes, a Lei mosaica ordenara: “Tens de amar o teu próximo como a ti mesmo.” (Levítico 19:18) Os ensinos de Jesus sobre o amor abnegado, porém, abrangiam mais do que esse mandamento. (João 13:34) Lembre-se de que ele também proferiu fortes denúncias contra os líderes religiosos hipócritas. Leia todo o capítulo 23 de Mateus e veja quão vigorosamente Jesus denunciou a tais.
    Portanto, o registro bíblico figura, não como prova da crueldade de Deus, mas como evidência do seu amor profundo e duradouro pela humanidade. Desse modo, sentimo-nos induzidos a aprender mais sobre Jeová e sobre seus modos amorosos.
    QUER APRENDER MAIS SOBRE JEOVÁ E SOBRE SEUS MODOS AMOROSOS ME MANDE UM E-M

    Dylzinho 18 Maio, 2009 5:26
Loading...