As Palavras do Senhor

Por Que A Religião Possui Um Tratamento Diferenciado De Qualquer Outro Assunto De Discussão?

“A religião […] tem determinadas idéias em seu cerne que denominamos sagradas, santas, algo assim. O que isso significa é: ‘Essa é uma idéia ou uma noção sobre a qual você não pode falar mal; simplesmente não pode. Por que não? Porque não, e pronto!’. Se alguém vota em um partido com o qual você não concorda, você pode discutir sobre isso quanto quiser; todo mundo terá um argumento, mas ninguém vai se sentir ofendido. Se alguém acha que os impostos devem subir ou baixar, você pode ter uma discussão sobre isso. Mas, se alguém disser: ‘Não posso apertar o interruptor da luz no sábado’, você diz: ‘Eu RESPEITO isso’.
Como é possível que seja perfeitamente legítimo apoiar o Partido Trabalhista ou o Partido Conservador, republicanos ou democratas, um ou outro modelo econômico, o Macintosh e não o Windows – mas não ter uma opinião sobre como o universo começou, sobre quem criou o universo […] não, isso é sagrado? […] Mas, quando se analisa racionalmente, não há nenhuma razão para que essas idéias não estejam tão sujeitas a debate quanto quaisquer outras, exceto o fato de que, de alguma forma, concordamos entre nós que elas não devem estar”. (ADAMS, Douglas (2003). The salmon of doubt. Londres: Pan.)
Qual a sua opinião a respeito?

COMENTÁRIOS FACEBOOK

Comments to Por Que A Religião Possui Um Tratamento Diferenciado De Qualquer Outro Assunto De Discussão?

  • Para fundamentar a resposta vou dar alguns exemplos conhecidos ou desconhecidos da maioria. Quando Roma foi fundada, segundo a lenda, por Rômulo e Remo, cerca de 750 anos antes de nossa era, havia muitas religiões depois consideradas pagãs. Com a organização da urbe romana, os lideres das principais religiões eram sempre patrícios, nobres donos de terras que podiam aprender a ler e a escrever. E o líder máximo, eleito pelos patrícios, era o Pontífice Maximus. Esta figura ficou no esquecimento e dela só lembramos ao estudar Direito Romano, onde os bons professores nos explicam que os Pontífices guardavam e interpretavam as leis, desconhecidas pela população analfabeta e mesmo pelos nobres. Quando a justiça se tornou pública, os romanos foram à Magna Grecia (Sul da Itália) buscar conhecimentos jurídicos e instituiram as 12 Tábuas da Lei, que não têm nada que ver mas são muito confundidas com as tábuas dos 10 mandamentos do mítico Moisés. As tábuas e o Forum romano foram destruídos pelos Galos, mas as leis ficaram na memória e os Pontífices puderam retornar ao poder pleno quando o cristianismo foi aceito como uma das religiões permitidas em Roma por Constantino I.
    Lá está o brilhante Papa Bento XVI, sucessor daqueles pontífices iniciais, todos doutores em Poder, tentando dar uma reformulada nos conceitos católicos, para preservar a mais poderosa instituição da história da humanidade, a Igreja Católica Apostólica Romana.
    Antes de Bento XVI houve toda uma linhagem de papas, alguns notáveis e muitos desprezíveis, mas todos eles recomendando aos seus fiéis que “religião não se discute, aceita-se”. O mesmo fizeram e fazem os reformistas protestantes, os judeus, os ortodoxos, os maometanos, os talebanes etc. E por que o fazem? Para manter o poder da casta sacerdotal, seja nos governos democráticos ou nos totalitários, principalmente nos governos teocráticos do Oriente Médio, onde quem governa é deus, mas quem colhe os benefícios são os líderes religiosos.
    O Brasil é um país onde a liberdade é muito grande, inclusive no sentido religioso. É permitido sim, discutir, opinar, dissentir e estabelecer novos conceitos, desde que mantendo o respeito pela opinião e crença dos demais.

    football gifts 11 Agosto, 2009 2:27
  • Não existe nenhuma razão para que conceitos religiosos e divinos não possam ser propostos, questionados e melhorados, exceto na cabeça dos ignorantes e daqueles que querem mante-los nessa condição, assim como na de ovelhas condutíveis e/ou tosquiáveis.
    O que leva o homem em direção à Deus, é a busca da sua compreensão e não a obediência cega, como querem os interesses menores do poder e da ganância.
    Paz e Luz!

    Amnyotep 11 Agosto, 2009 2:27
  • Esta pergunta é auto contraditória, principalmente se colocada neste meio em que se discute tanto sobre o assunto.
    Qualquer pessoa que tenha ‘a sua disposição um dicionário sabe que “sagrado” não está relacionado somente ao que é religioso.
    consagrar
    Conjugar
    de sagrar
    v. tr.,
    tornar sagrado;
    sagrar;
    dedicar a Deus;
    converter (pão e vinho) no corpo e sangue de Jesus Cristo;
    oferecer em homenagem;
    destinar;
    dedicar ao culto;
    sancionar;
    v. int.,
    ant.,
    jurar pela sagrada hóstia;
    v. refl.,
    dedicar-se.

    WP Robot Wordpress Autoposter 11 Agosto, 2009 2:27
  • Não é completamente diferente não.
    É igual ao futebol. Porque o povo pensa com a paixão, e não com a cabeça.
    Tá legal … em certas religioes o povo nem tem cabeça, então já tá bom se eles pensam de algum jeito qualquer.
    Beijos

    Paris Whitney H 11 Agosto, 2009 2:27

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Loading...