As Palavras do Senhor

Por Que Deus NÃo Nos Avisou Na Biblia Que Iria Enviar O Papa Como Vigario De Cristo?

Boa pergunta,pois realmente nada consta neste sentido na Bíblia e Jesus não designou pessoalmente a ninguém como vigário ou papa, os quais começaram a aparecer muito depois de sua morte como humano,em sangrentas apresentações, portanto, acho esta história pura “vigarisse” mas pensando bem, gostaria de saber a origem do termo “vigarista”, será que vem de vigário?


Comments to Por Que Deus NÃo Nos Avisou Na Biblia Que Iria Enviar O Papa Como Vigario De Cristo?

  • Quem se intitulou isto, foi o próprio Papa, e mais ainda, que eles não pecam, isto é são iguais a Deus. Que absurdo, tantas acontecimentos horríveis tem acontecido ao longo dos anos envolvendo escândalos, carnificinas, prostituições, que infelismente em nome da Santa Fé tem cometidos. Quem diz que não tem pecado, é mentiroso, e é o demônio que é o pai da mentira. Eu já fui coroinha, e sei como o católico tem que fazer ao se aproximar de um bispo. Tem que se ajoelhar, beijar sua mão e com muita reverência.

    gycocb@y 24 Julho, 2009 23:47
  • Avisou sim mas foi Jesus Cristo que une pessoas e não as separam
    João 8:32
    e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
    Que liberdade é esta? Claro que é a independência de religião escrava do mundo atual.
    A Bíblia é a palavra de Deus e não de homens – Jeremias 10:23.
    Seguindo a Bíblia teremos fé e com certeza faremos obras que o nosso maior instrutor ordenou que fizéssemos – Mateus 28:19,20
    e para isto não depende de nível intelectual e sim, ter qualidade tais como brandura, bondade, amor, autodomínio, paz, alegria e pedir
    ajuda do Espírito Santos que nos dá discernimento e coragem para falar em público.

    salva 24 Julho, 2009 23:47
  • Tudo o que já aconteceu, está acontecendo agora, e o que vira posteriormente está descrito na Bíblia, é so ler e compreender.

    Lulu 24 Julho, 2009 23:47
  • E quem pode afirmar que ele é o vigário de Cristo,Cristo não precisa de representante.

    Fatima O 24 Julho, 2009 23:47
  • Porque ele disse esse é meu filho amado em quem me comprazo,e o filho disse acautelai-vos para que ninguém vos engane.

    Robson 24 Julho, 2009 23:47
  • Por que o capeta mandou o Edir primeiro.

    Cristão Protestante Fiel 24 Julho, 2009 23:47
  • O vigário de Cristo é o Espírito Santo, prometido por Jesus em João 15:26. Vigário significa “enviado”.

    Um cara 24 Julho, 2009 23:47
  • Avisou sim, só que com outro nome: Falso Profeta!

    obede 24 Julho, 2009 23:47
  • E desde quando deus existe?

    O polêmico 24 Julho, 2009 23:47
  • Quem disse??? Veja em João capítulo 21, Jesus mesmo nomeia Pedro seu substituto, o entregando o seu rebanho… “Simão! Tu me ama??? Apascenta as minhas ovelhas…” Lembrando que Pedro obtinha uma primazia sobre os demais apóstolo, pois, recebeu também a chave dos céus, chave está que é sinal de autoridade… vejamos a relação entre Pedro e o papado:
    “Tu és Pedro e sobre esta pedra”… Segundo a Sagrada Escritura, seu nome original não era Pedro, mas Simão. Nos livros dos Atos dos Apóstolos e na Segunda Carta Universal de Pedro, aparece ainda uma variante do seu nome original, Simeão. Cristo mudou seu nome para ????, Kepha, que em aramaico significa “pedra”, “rocha”, nome este que foi traduzido para o grego como ??????, Petros, através da palavra ?????, petra, que também significa “pedra” ou “rocha”, e posteriormente passou para o latim como Petrus, também através da palavra petra, de mesmo significado. Portanto Pedro significa pedra. (Fonte: Wikipédia)
    “Chaves do Céu”… a Chave é sinal de autoridade entre os orientais, Cristo então deu autoridade a Pedro. Céu, talvez, possa significar a Boa nova, que muitas vezes no evangelho é citado como ” Reino de Deus” e o Reino de Deus é o Céu. Cristo constitui autoridade total de Pedro sobre pregação e interpretação da Palavra de Deus. O que teoricamente o Papa faz.
    “Ligar e desligar”… responsabilidade de definir sobre os Cristãos. (Ovelhas do rebanho de Jesus, nas quais observamos no Evangelho de São João; Jo 21,15-17)
    Veja o que diz o Catecismo da Igreja Católica:
    §553 Jesus confiou a Pedro uma autoridade específica: “Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: o que ligares na terra será ligado nos Céus, e o que desligares na terra será desligado nos Céus” (Mt 16,19). O “poder das chaves” designa a autoridade para governar a casa de Deus, que é a Igreja. Jesus, “o Bom Pastor” (Jo 10,11), confirmou este encargo depois de sua Ressurreição: “Apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21,15-17). O poder de “ligar e desligar” significa a autoridade para absolver os pecados, pronunciar juízos doutrinais e tomar decisões disciplinares na Igreja. Jesus confiou esta autoridade à Igreja pelo ministério dos apóstolos e particularmente de Pedro, o único ao qual confiou explicitamente as chaves do Reino.
    PEDRO E CADEIRA EPISCOPAL DE ROMA
    Fonte: Wikipédia
    A comunidade de Roma foi fundada e evangelizada pelos Santos Apóstolos São Pedro e São Paulo e é considerada a única comunidade cristã do mundo fundada por mais de um apóstolo e a única do Ocidente instituída por um deles. Por esta razão desde os primórdios do Cristianismo, a comunidade de Roma (chamada atualmente de Santa Sé) tem o primado sobre todas as outras comunidades locais (dioceses, território eclesiástico “governado” por um bispo); o ministério de Pedro continua sendo exercido até hoje pelo Bispo de Roma, assim como o ministério dos outros apóstolos é cumprido pelos outros Bispos unidos a ele, que é a cabeça do colégio apostólico, do colégio episcopal. A sucessão “petrina” começa com São Lino, em 67 d.c, e atualmente é exercida pelo papa Bento XVI. Por isso dizemos que o Papa é sucessor de São Pedro.
    Que o apóstolo São Pedro exerceu seu ministério em Roma informa ele próprio ao concluir sua primeira carta: “A Igreja que está em Babilônia, eleita como vós, vos saúda, como também Marcos, meu filho” (I Pe 5,13).
    Trata-se da Igreja de Roma. Assim também interpretaram todos os autores desde a antiguidade, como veremos abaixo, como sendo Roma Imperial (decadente). O termo não pode referir-se à Babilônia sobre o Eufrates, que jazia em ruínas ou a Nova Babilônia (Selêucia) sobre o Tigre, ou a Babilônia Egípcia cerca de Mênfis, tampouco a Jerusalém; deve, portanto referir-se a Roma, a única cidade que é chamada Babilônia pela primitiva literatura Cristã.
    Depoimentos dos primeiros Cristãos e primeiros teólogos sobre a primazia de São Pedro:
    • Assim nos refere o bispo Dionísio de Corinto, ano 170 d.C., extrato de uma de suas cartas aos romanos:
    “Tendo vindo ambos a Corinto, os dois apóstolos Pedro e Paulo nos formaram na doutrina evangélica. A seguir, indo para a Itália, eles vos transmitiram os mesmos ensinamentos e, por fim, sofreram o martírio simultaneamente”.
    • Gaio, presbítero romano’, ano 199:
    “Nós aqui em Roma temos algo melhor do que o túmulo de Filipe. Possuímos os troféus dos apóstolos fundadores desta Igreja local. Vai à Via Óstia e lá encontrareis o troféu de Paulo; vai ao Vaticano e lá vereis o troféu de Pedro”.
    Gaio dirigia-se nos seguintes termos a um grupo de hereges: “Posso mostrar-vos os troféus (túmulos) dos Apóstolos. Caso queirais ir ao Vaticano ou à Via Ostiense, lá encontrareis os troféus daqueles que fundaram esta Igreja”.
    • Orígenes (185-253 d.C.) responsável pela escola catequética em Alexandria afirma:
    “Pedro, ao ser martirizado em Roma, pediu e obteve fosse crucificado de cabeça para baixo”
    “Pedro, finalmente tendo ido para Roma, lá foi crucificado de cabeça para ba

    Gabriel Gaspar 24 Julho, 2009 23:47
  • Resposta para o Júlio Cézar.
    A Bíblia não confirma o que você escreveu.
    Em nenhum lugar da Bíblia está escrito que Pedro fundou a Igreja de Roma. Isto é invenção do catecismo da “igreja” católica romanista.
    PEDRO NUNCA FOI PAPA. Um estudo de documentos antigos mostra que, no início, a Igreja não era Centralizada como hoje. Havia comunidades cristãs em várias cidades, cada uma com seu bispo, e cada bispo cuidava dos assuntos locais. O de Roma não estava acima dos outros. Pedro “estava longe de ser um monarca espiritual, ou mesmo um governante único”, escreveu o teólogo alemão Hans Küng, em A Igreja Católica. Não havia um papa – e por muitos séculos foi assim.
    Nem é ao menos sequer uma vez ensinado nas Escrituras que o Bispo de Roma, ou qualquer outro bispo, deveria ter a primazia sobre a Igreja. As Escrituras nem ao menos explicitamente registram Pedro sequer estando em Roma. Ao invés disso, há apenas uma referência nas Escrituras de Pedro escrevendo da “Babilônia”, um nome às vezes aplicado a Roma (I Pedro 5:13).
    As Escrituras mostram que a autoridade de Pedro era dividida com outros apóstolos (Efésios 2:19-20), e a autoridade de “ligar e desligar” a ele atribuída era, da mesma forma, dividida pelas igrejas locais, não somente pelos seus líderes (veja Mateus 18:15-19; I Coríntios 5:1-13; II Coríntios 13:10; Tito 2:15; 3:10-11).
    Além disso, em nenhum lugar as Escrituras afirmam que para manter a igreja livre de erro, a autoridade dos apóstolos foi passada àqueles ordenados (sucessão apostólica).
    Foi Pedro o primeiro papa? A resposta, de acordo com as Escrituras, é um claro e enfático não. Pedro, em lugar algum, clama para si mesmo supremacia sobre os outros apóstolos. Em nenhum lugar, dentre o que escreveu (I e II Pedro), o Apóstolo Pedro chama para si qualquer papel especial, autoridade ou poder sobre a igreja.
    Em nenhum lugar dizem as Escrituras que Pedro, ou qualquer outro apóstolo, afirma que sua autoridade apostólica seria passada a seus sucessores. A Bíblia de forma alguma, dá apoio ao conceito de que Pedro foi o primeiro papa, ou que ele era o “líder supremo” sobre os apóstolos, ou que sua autoridade seria passada aos Bispos de Roma. O próprio Pedro nos mostra o verdadeiro Pastor e Bispo da igreja, o Senhor Jesus Cristo (I Pedro 2:25).
    Tudo indica que a comunidade cristã de Roma foi fundada por um anônimo seguidor de Jesus, provavelmente um judeu da Palestina que se juntou aos dezenas de milhares de membros da comunidade judaica da capital do Império Romano. Paulo, ao escrever para os cristãos de Roma na década de 50 do século 1, em nenhum momento menciona a presença de Pedro na cidade.
    No ano 58 d.C., PAULO escreveu a Epístola aos Romanos [conforme os Católicos, PEDRO deveria estar no poder há 15 anos]. No Capítulo 16 do Livro de Romanos inteiro, PAULO mandou saudações para muita gente em ROMA, porém PEDRO não é mencionado.
    Caso Pedro fosse Papa da Igreja em ROMA, Paulo o teria mencionado em 1º Lugar. No ano 62 Paulo chegou a ROMA, e foi visitado por muitos irmãos, porém novamente não aparece o nome de PEDRO [Atos 28:11-31]. Se PEDRO fosse dirigente da Igreja em ROMA, sendo, portanto uma figura tão importante, Lucas, escritor de Atos, o teria mencionado.
    De Roma, Paulo escreveu 04 cartas, são elas: No ano 62 escreveu aos Efésios, Colossenses, e Filemom. No ano 63 d.C. escreveu aos Filipenses. Nada a respeito de PEDRO é mencionado.
    Entre os anos 67 e 68 d.C, após o incêndio em Roma, quando Paulo estava preso pela 2ª vez, ele escreveu 2 Timóteo, porém esse tal Papa que a “igreja” católica romanista diz que existia também não é mencionado. CONCLUSÃO: Dizer que PEDRO foi o 1º Papa da Igreja é uma IMPOSIÇÃO extremamente humana, sem fundamentos nas Escrituras Sagradas.
    Está satisfeito senhor Júlio Cezar?

    Júlio Cézar 24 Julho, 2009 23:47
  • SABEM O QUE É MAIS TRISTE HOMENS SE AJOALHAREM A OUTROS HOMENS E O NOME DO PAPA É PAI TRADUZINDO NAS LINGUAS DE CADA NAÇÃO LEIAM OS MANDAMENTOS DE DEUS SOBRE A IDULATRIA

    sergio nunes 26 Julho, 2013 1:29