As Palavras do Senhor

Por Que Os Registros Históricos De Escritores Não Cristãos Praticamente Não Dizem Nada Sobre Jesus?

Quem é que nunca ouviu falar de Jesus de Nazaré? É claro que todo mundo ouviu falar de Jesus. A Bíblia nos diz que sua fama se espalhou por toda a Palestina e Síria. Ele é o homem-deus/salvador do mundo que realizou milagres que só um deus poderia realizar. Transformou água em vinho, alimentou milhares de pessoas com apenas alguns pedaços de pão e peixe, andou sobre as águas, acalmou tempestades, curou cegos, surdos e enfermos, recuperou mãos atrofiadas, expulsou demônios e ressuscitou os mortos. Seus ensinamentos morais são considerados superiores a tudo o que já foi ensinado.
Ele foi rejeitado por seu próprio povo, os judeus, e brutalmente crucificado pelos romanos. Mas isto não deteve Jesus. A Bíblia nos diz que, ao ser crucificado, céus e terra confirmaram sua divindade, causando um eclipse do sol de 3 horas em toda a terra, um terremoto que fez com que a cortina do templo em Jerusalém se rasgasse ao meio e que túmulos se abrissem e homens santos ressuscitassem e aparecessem às pessoas em Jerusalém. Três dias depois, o Filho de Deus derrotou o Diabo, o príncipe das trevas, ressuscitou dos mortos, apareceu a seus discípulos e então subiu aos céus. Como é possível alguém não gostar desta história nem desejar acreditar nela?
O problema que pesquisadores sinceros e com mentes objetivas têm com esta história espantosa é:
Por que os registros históricos de escritores gregos, romanos e judeus não cristãos praticamente não dizem nada sobre Jesus de Nazaré?
Certamente que notícias sobre acontecimentos como esses, se fossem verdadeiras, teriam se espalhado por todo o mundo mediterrâneo. E, no entanto, os escritos que sobreviveram, de uns 35 a 40 observadores independentes durante os primeiros 100 anos que se seguiram à suposta crucificação e ressurreição de Jesus, praticamente não confirmam nada. Estes autores eram respeitados, viajados, sabiam se expressar, observavam e analisavam os fatos, eram os filósofos, poetas, moralistas e historiadores daquela época.


Comments to Por Que Os Registros Históricos De Escritores Não Cristãos Praticamente Não Dizem Nada Sobre Jesus?

  • Simples, porque o Jesus bíblico não existiu; pode até ter existido um Jesus histórico (embora as únicas provas sejam umas duas ou três linhas sobre ele em historiadores gregos ou latinos), mas esse não tem nada a ver com o da bíblia.

    Giovani K 17 Outubro, 2009 17:36
  • Bom, na época não era tão simples a divulgação de uma informação à distância. Possivelmente, muitos historiadores gregos não sabiam nada de Jesus e do que acontecia na região onde Jesus nasceu. Isso não quer dizer que a história de Jesus existiu ou não existiu. Há outro aspecto: Mesmo que um historiador seja honesto e procure fontes de consulta que tenham credibilidade, é difícil que ele consiga 100% de credibilidade em uma fonte ou em muitas fontes. É dificil nos dias de hoje então seria ainda mais naquela época porque manipulação de informação não é algo recente. Pode ser que tenha havido manipulação tanto por quem acredita em Jesus como por quem não acredita. Nesse caso, acreditar na existência de Jesus ou acreditar que Jesus não existiu, vira uma questão de fé pois tudo vai depender das fontes de informação e conferir 2.000 de infornações não é algo simples.

    English Football 17 Outubro, 2009 17:36
  • a bíblia também é um registro histórico, vcs não acreditam na bíblia mais acreditam em tudo que a história diz e ninguém tenta provar nada contra os documentos históricos, Jesus está vivo e viveu na terra a 2 mil anos atrás, queira vc ou não,
    “Deus sem vc, continua sendo Desu, vc sem Deus não é nada!!!”

    Márcio 17 Outubro, 2009 17:36
  • Meu amigo,
    A resposta está na sua pergunta. Eles não falam nada sobre Jesus justamente por serem não-cristãos. É a mesma coisa que a Bíblia tratasse algum assunto relacionado a Maomé. Você já viu alguma menção a este nome na Bíblia? Sendo que Maomé é tão conhecido quanto Jesus Cristo em nosso planeta. Precisamos aprender respeitar as outras religiões e os seus ensinamentos. Ninguém é obrigado a citar o nome de ninguém.

    megavina 17 Outubro, 2009 17:36
  • Você sabia que quando eles ficaram sabendo que Jesus havia ressuscitado, (os soldados que eles colocaram de plantão, vigiando, foram obrigados a mentir), eles ameaçaram de morte a quem contasse a Verdade. Portanto, somente os Cristãos servem a Deus de coração, sem temer a morte física. Entende agora porque não cristãos negam a existência do Senhor?

    su 17 Outubro, 2009 17:36
  • se eu não sou cristão porque vou está perdendo meu tempo escrevendo sobre cristão em? os escritores da época era contra qualquer tipo de profeta, se não fosse romano não era gente. eles matava, quem tive ponto de vista diferente era morto. saia da minha aba.

    SIMPRÃO 17 Outubro, 2009 17:36
  • A resposta está na sua pergunta: porque não eram Cristãos, logo ignoravam o evangelho… eu já te disse que seu avatar é muito fofo?

    A curiosa 17 Outubro, 2009 17:36
  • Esta é uma boa pergunta…
    Faz pensar em um mito que está durando 2.000 anos.

    Cesar G 17 Outubro, 2009 17:36
  • Porque há fortes possibilidades desse tal de Jesus nunca ter existido.

    tubalcai 17 Outubro, 2009 17:36
  • Porque os escritos foram feitos pelos que viveram ou conviveram com Ele.
    Agora você diz que o Homem é uma mentira, mas afirma que Certamente que notícias sobre acontecimentos como esses, se fossem verdadeiras, teriam se espalhado por todo o mundo mediterrâneo. E, no entanto, os escritos que sobreviveram, de uns 35 a 40 observadores independentes durante os primeiros 100 anos que se seguiram à suposta crucificação e ressurreição de Jesus, praticamente não confirmam nada. E quem me garante que esses outros autores eram realmente respeitados, viajados, sabiam se expressar, observavam e analisavam os fatos, eram os filósofos, poetas, moralistas e historiadores daquela época.
    Você?
    E você estava lá para ter tanta fé em uns e não, especificamente, em Outro?

    persimau 17 Outubro, 2009 17:36
  • Flávius Josephus

    Josephus tem uma observação interessante. “e nesse tempo surgiu Jesus, um homem sábio, se de fato podemos chamá-lo de homem; pois ele é genitor de grandes feitos, professor de homens que receberam a verdade com grande prazer. Ele conquistou muitos judeus e também muitos gregos. Esse homem era o messias. E quando Pilatos o condenou à cruz por instigação de nossos próprios líderes judeus, aqueles que o amaram desde começo não cessaram. Pois ele apareceu a eles no terceiro dia ressuscitado, como os profetas previram e disseram muitas outras coisas maravilhosas sobre ele. E até agora o movimento dos cristãos, denominados assim por causa dEle, ainda não morreu.”

    ferreira 5 Janeiro, 2014 1:39