As Palavras do Senhor

Quais Foram As Três Tentações De Jesus E O Que Elas Significam?

1ª tentação: “Não comeu nada nestes dias e, depois disso, sentiu fome. Então o diabo disse a Jesus: “Se Tu és o Filho de Deus, manda que esta pedra se torne pão.” Jesus respondeu: “”A escritura diz: ”Nem só de pão vive o homem.”” (Mateus 4: 3,4).
Significado: Jesus tinha um objetivo e estava fazendo um sacrifício para atingir este objetivo. O “demônio” propõe a Jesus que não se sacrifique, e que use o Seu poder para conseguir o pão e não o “Pão da Vida” espiritual que estava buscando. O desafio do “diabo” era uma cilada para Jesus se mostrar orgulhoso do Seu poder (transformar pedra em pão) e começar a usar este poder segundo as leis do “diabo” e dos homens e não segundo a vontade de Deus. Jesus entende o fato e coloca a vontade de Deus acima de qualquer desejo do “demônio”. Ou seja, Ele não quis provar nada para ninguém.
Ele também demonstra que todos nós temos necessidades que só podem ser satisfeitas a partir de uma vivência espiritual: nem só de pão vive o homem.
2ª tentação: Jesus está no alto de uma montanha. De lá pode-se ver o horizonte e imaginar toda a extensão de terra que forma os mais diversos reinos. O “demônio” diz: “Eu te darei todo poder e riqueza destes reinos, porque tudo isto foi entregue a mim, e posso dá-lo a quem eu quiser. Portanto, se ajoelhares diante mim, tudo isto será teu. “Jesus respondeu: “Você adorará o Senhor seu Deus e somente a Ele servirá.” (Mateus 4: 6,8)
Significado: O “demônio” tenta fascinar Jesus com a proposta de poder. Bastava Ele se tornar igual a tantos outros que queriam dominar os povos e submetê-los à situações injustas que Ele teria todo o poder e o apoio do “demônio” para dominar estes reinos. Mas Jesus disse: Não. Ele decidiu tomar o caminho que Deus havia lhe reservado: revelar as verdades fundamentais da vida, contribuir para a evolução espiritual do mundo, servir de exemplo positivo de amor e bondade para toda a humanidade através dos séculos. A obra de Jesus está aí até hoje; a obra dos dominadores e imperadores sempre acaba.
O “demônio” sempre usa da tentação para levar o homem a ser aproveitador e dominador, Jesus nos ensina que devemos servir e ajudar, que assim seremos mais justos, mais felizes e teremos maior realização interior.
Lembre-se: Jesus teve inteligência ao dizer Não. Mas nem sempre aconteceu assim. Alguns profetas ou homens de religião resolveram lutar pelo poder e até partiram para a guerra e assim se desviaram do caminho correto. Estes falaram coisas corretas, mas também muita coisa incorreta. Por isto devemos ter discernimento e bom senso quando lemos coisas que eles escreveram ou analisamos seus exemplos de vida.
3ª tentação: Jesus estava em Jerusalém, na parte mais alta do Templo. O “demônio” Lhe disse: “Se Tu és Filho de Deus, joga-Te daqui para baixo. Por que a escritura diz: “Deus ordenará a teus anjos a teu respeito, que te guardem com cuidado. … Eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em nenhuma pedra.” Mas Jesus respondeu: “A Escritura diz: “Não tente o Senhor teu Deus.”” (Mateus 4: 9,12)
Significado: Deus protege aqueles que trilham um caminho correto. Se Jesus fizesse o que o “demônio” queria, Ele não estaria trilhando o caminho correto. Ele estaria colocando Deus à prova. E a verdade é que devemos confiar e nos entregar a Deus.
Se Jesus saltasse do alto do Templo e saísse vivo, com certeza Ele seria aclamado como alguém poderoso e teria inúmeros admiradores prontos para segui-Lo. Jesus, porém, sabia que seu caminho era revelar que todo este poder é ilusão, sendo verdadeiro apenas aquilo que podemos levar para o “além da vida”, onde nossa vida dura um infinito. E nós só levamos para o além vida o que é importante para Deus: valores morais, atos de justiça e amor ao próximo, nosso crescimento interior, caridade, entre outros. Ou seja, Jesus veio revelar a realidade além morte, que a vida continua e que lá só importa a realização da Obra de Deus.
Esta resposta também nos ensina a importância do estudo contínuo e profundo dos ensinamentos de Deus, a fim de conseguirmos (através do conhecimento) sairmos da cilada armada por aqueles que utilizam a própria palavra de Deus desfocada da Vontade de Deus. Jesus se defende da tentação pois conhece o verdadeiro Núcleo da Fé Evangélica.
tchau


Comments to Quais Foram As Três Tentações De Jesus E O Que Elas Significam?

  • A tentação da Magia ( transformar pedras em pães);
    A tentação da Onipotência (se jogar de um alto, lugar, para provar que Ele era o filho de Deus, o qual poderia dar uma ordem e os seus anjos atender de imediato, salvando sua vida) e ;
    A tentação do Poder Fácil ( seria dado a Ele toda a Terra e todos os reinos e a glória desses reinos, se tão somente Ele se prostrasse e adorasse a Satanás.
    Isto é tudo.

    gattinha (; 24 Junho, 2009 5:31
  • Na verdade não foram três, na prática foi apenas uma em teor. Não devemos pensar que Jesus tenha sido tentado em tudo que homens e mulheres são tentados. O Filho de Deus não poderia ser tentado com as mesmas concupiscências com que somos tentados porque, em sua natureza, não havia pecado. Ele não era da linhagem de Adão.
    Jesus Cristo foi tentado em tudo quanto um ser celestial poderia ser tentado. Toda a tentação de satanaz girou em torno de procurar desviá-lo de sua missão no mundo na qualidade de Filho de Deus e de Messias. A experiência que o levou a poder se compadecer de nossas fraquezas não se deu por identificação dele com as fraquezas dos seres humanos, mas por ter-se confrontado com a força opressora do tentador.
    Jesus não poderia se tentado pela avareza ou ganância. Da mesma forma não poderia ser tentado a se prostituir ou adulterar; a roubar ou a matar. Tudo isso faz parte de nossa natureza contaminada pelo pecado que Jesus não participa. Ele foi tentado em sua própria natureza e em sua missão como Filho de Deus. Foi por supor a possibilidade de Jesus desviar de sua missão que satanaz o tentou no deserto. Queria induzí-lo a mudar o rumo e a natureza de sua missão.
    Satanaz queria que Jesus não desenvolvesse um ministério na base da pregação da verdade, mas da exibição de poderes miraculosos e teatrais como por ex. o que alguns “pastores, pastoras, bispos, bispas (episcopisa, bispa só p esses falsos mestres), e apóstolos” estão fazendo hoje, e aliás, não são poucos os “servos” de Deus que tem cedido a esse tipo de tentação, comprometendo-se com os poderes do mundo, buscando prosperidade, riqueza, altas posições e influência política, fazendo teatro, fingindo poderes, para serem apreciados e seguidos. – Abraços!

    pescador 24 Junho, 2009 5:31
  • Evocação do Natal
    O maior de todos os conquistadores, na face da Terra, conhecia, de antemão, as dificuldades do campo em que lhe cabia operar.
    Estava certo de que entre as criaturas humanas não encontraria lugar para nascer, à vista do egoísmo que lhes trancava os corações; no entanto, buscou-as, espontâneo, asilando-se no casebre dos animais.
    Sabia que os doutores da Lei ouvi-lo-iam indiferentes, com respeito aos ensinamentos da vida eterna de que se fazia portador; contudo, entregou-lhes, confiante, a Divina Palavra.
    Não desconhecia que contava simplesmente com homens frágeis e iletrados para a divulgação dos princípios redentores que lhe vibravam na plataforma sublime, e abraçou-os, tais quais eram.
    Reconhecia que as tribunas da glória cultural de seu tempo se lhe mantinham cerradas, mas transmitiu as boas novas do Reino da Luz à multidão dos necessitados, inscrevendo-as na alma do povo.
    Não ignorava que o mal lhe agrediria as mãos generosas pelo bem que espalhava; entretanto, não deixou de suportar a ingratidão e a crueldade, com brandura e entendimento.
    Permanecia convicto de que as noções de verdade e amor que veiculava levantariam contra Ele as matilhas da perseguição e do ódio; todavia, não desertou do apostolado, aceitando, sem queixar, o suplício da cruz com que lhe sufocavam a voz.
    É por isso que o Natal não é apenas a promessa da fraternidade e da paz que se renova alegremente, entre os homens, mas, acima de tudo, é a reiterada mensagem do Cristo que nos induz a servir sempre, compreendendo que o mundo pode mostrar deficiências e imperfeições, trevas e chagas, mas que é nosso dever amá-lo e ajudá-lo mesmo assim.
    (Do Livro: Antologia Mediúnica do Natal, por Francisco Cândido Xavier) http://poemasdepaz.blogspot.com/2008_04_

    Edson Eass 24 Junho, 2009 5:31
  • As tentações estão em Mateus 4:1-11.Jesus tirava tempo para ler a palavra de Deus,pois todas as respostas que Jesus deu a satanás estão nas escrituras veja(R: 1ºTentação Deut8:3,2ºSalmos91:11-12,3ºSalmos 2:8).Significado:Jesus teve os olhos da fé e não os olhos do desejo,da carne,assim devemos ser,ter os olhos da fé e renunciar o que não é digno aos olhos do Pai,dando os frutos do Espirito e não frutos da carne(Galatas 5:16-26).

    Antonio Vieira Sobrinho 24 Junho, 2009 5:31
  • Por isso, depois do batismo, Jesus foi ao deserto para pensar nas muitas coisas que ele começou a lembrar. Ele passou 40 dias e 40 noites ali e, durante todo esse tempo, não comeu nada. Por isso, estava com muita fome. Foi então que Satanás tentou Jesus.
    O Diabo disse: ‘Se você é filho de Deus, diga a essas pedras que se transformem em pães.’ Com a fome que Jesus estava, que delícia seria ter um pãozinho para comer! Mas será que Jesus poderia ter transformado as pedras em pães? — Sim, poderia. Por quê? Porque Jesus, o Filho de Deus, tinha poderes especiais.
    Jesus sabia que era errado usar desse modo o poder que Jeová tinha lhe dado. Ele recebeu esse poder para ajudar as pessoas a conhecer a Deus, não para usar em proveito dele mesmo.
    Jesus disse a Satanás o que está escrito na Bíblia: ‘O homem tem de viver, não só de pão, mas de cada palavra que sai da boca de Jeová.’ Jesus sabia que fazer o que agrada a Jeová é mais importante do que ter o que comer. Por isso, não aceitou o desafio de Satanás.
    Mas o Diabo o tentou de novo. Levou Jesus até Jerusalém e fez com que ele ficasse em cima duma parte alta do templo. Daí, Satanás disse: ‘Se você é filho de Deus, jogue-se para baixo. Porque está escrito que os anjos de Deus não vão deixar você se machucar.’
    Mais uma vez, Jesus não escutou a Satanás. Ele disse: “Está escrito: ‘Não deves pôr Jeová, teu Deus, à prova.’” Jesus sabia que era errado testar, ou provar, Jeová arriscando a vida.
    Mas Satanás não desistiu. Depois disso, ele levou Jesus a uma montanha muito alta. Dali, ele mostrou-lhe todos os reinos, ou governos, do mundo e sua glória. Então, Satanás disse a Jesus: ‘Eu vou lhe dar todas essas coisas se você se curvar e me fizer um ato de adoração.’
    Pense no que o Diabo ofereceu a Jesus. Será que todos aqueles reinos, ou governos, dos homens realmente pertenciam a Satanás? — Bem, Jesus não disse ao Diabo: ‘Esses governos não são seus.’ Se os governos não fossem do Diabo, Jesus teria dito isso. Satanás é mesmo o governante de todas as nações do mundo. A Bíblia até o chama de “governante deste mundo”. — João 12:31.
    esus sabia que era errado adorar o Diabo, não importava o que ganhasse em troca. Assim, Jesus disse: ‘Vá embora, Satanás! Porque a Bíblia diz que só se deve adorar a Jeová Deus e só se deve servir a ele.’ — Mateus 4:1-10; Lucas 4:1-13.
    Beijão

    Saga DG 24 Junho, 2009 5:31