As Palavras do Senhor

Voces Ja Ouviram Dizer Que Jesus Cobrava Dizimo Para Curar As Pessoas?

Nunca ouvi fala que Jesus cobrava para curar as pessoas, para dar uma palavra de consolo, para alimentar os que tinha fome.
ELe mesmo sempre dizia: dai de graça o que de graça
recebeis.
Ele veio ensinar o amor, a caridade, o perdão, veio ensinar os verdadeiros valores do espírito, enquanto hoje certas “religiões” ( seitas na verdade), pregam que pra receber a graça de Deus voce tem que dar uma parte do seu pagamento. Isso é um absurdo. Tem pessoas que o pagamento não da nem pra levar uma vida com dignidade, pra sustentar os filhos, e tem que pagar dizimo? comentem sobre esse crime covarde..

COMENTÁRIOS FACEBOOK

Comments to Voces Ja Ouviram Dizer Que Jesus Cobrava Dizimo Para Curar As Pessoas?

  • Essa é nova, eu também nunca ouvi falar.
    O dizimo é absurdo, as pessoas não podem ter mensalidades para seguir a deuses.
    Já a contribuição por livre vontade, eu sou até a favor, o templo precisa ser mantido, mas essa contribuição não pode ter outro destino.
    Responda minha pergunta com estrelinha.http://br.answers.yahoo.com/question/ind…

    Bharma 29 Janeiro, 2010 23:25
  • Foi isso que eu ouvi.
    Porque vós mesmos sabeis como deveis imitar-nos, pois que não nos portamos desordenadamente entre vós,
    nem comemos de graça o pão de ninguém, antes com labor e fadiga trabalhávamos noite e dia para não sermos pesados a nenhum de vós.
    Não porque não tivéssemos direito, mas para vos dar nós mesmos exemplo, para nos imitardes.
    Tesalo: 3: 7;8;9
    Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, limpai os leprosos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de grassa dai.
    Não vos provereis de ouro, nem de prata, nem de cobre, em vossos cintos;
    nem de alforje para o caminho, nem de duas túnicas, nem de alparcas, nem de bordão; porque digno é o trabalhador do seu alimento.
    Mateus 10:8;9;10
    Os Eclesiásticos devem estar de “satanás” com os fieis.

    Dario D 29 Janeiro, 2010 23:25
  • dizimo é pra o sustento e manutenção da igreja!… O problema é que os crentes dão o dinheiro e dão as costas sem saber pra onde ele vai… daí acontece de igreja suja, caindo os pedaços, instrumentos podres, etc… e o pastor sempre com carrão, mansão!…
    A culpa não é do dízimo e sim da falta de atitude dos crentes que confiam demais nos pastores
    Já frenquentei igrejas que não tinha dizimo, TJ, E CCB, ambas o povo tem o mesmo comportamento dão o dinheiro e viram as costas!… Acontece disvios de dinheiro do mesmo modo que as dizimistas
    repito = A culpa não é do dízimo e sim da falta de atitude dos crentes que confiam demais nos pastores

    CanastrA P3ns4doR 29 Janeiro, 2010 23:25
  • NÃO, MAS MANDOU UM DOS QUE CUROU IR FAZER A OFERTA NO TEMPLO PARA AGRADECER A DEUS PELA GRAÇA ALCANÇADA.
    OS QUE SÃO CONTRÁRIOS AO DÍZIMO GERALMENTE, SÁO AQUELES QUE AMAM A PROSTITUIÇÃO, A BEBEDICE, OS VÍCIOS, A PORNOGRAFIA, A AVAREZA, O CARNAVAL.
    OS TAIS FIQUEM TRANQUÍLOS. DEUS NÃO QUER OS VOSSOS DÍZIMOS.
    PAZ E SAÚDE!

    Rogério Vaz 29 Janeiro, 2010 23:25
  • Nunaca mesmo…
    Veja um pedasso da missa da igreja evangelica em que eles cantam seu hino “ta na hora de oferta”http://br.answers.yahoo.com/question/ind…

    Horus 29 Janeiro, 2010 23:25
  • EU NUNCA VI JESUS CRISTO FAZENDO ISSO E TAMBÉM NENHUMA RELIGIÃO FAZENDO TAL COISA, E OLHA Q SOU RELIGIOSO E ESTUDANTE DA PALAVRA DE DEUS A 9 ANOS.

    Donaldo Plinio S 29 Janeiro, 2010 23:25
  • O dízimo não é para receber curas, o dízimo é para as obras sociais, sustento da igreja, missionários, etc.

    Ashbel Green Simonton 29 Janeiro, 2010 23:25
  • eu ouvi ao contrario…q jesus nunca cobrava pelo q fazia…

    dodinha 29 Janeiro, 2010 23:25
  • Boa pergunta.

    Oficial 29 Janeiro, 2010 23:25
  • Quando falamos em dar, sempre vem á ideia o mais material dos processos, dinheiro, alimentos , roupa, etc.
    Dar, melhor ainda, D O A R … significa simplesmente, partilhar com os outros o que facilmente está ao nosso alcance.
    D eus
    O rdem
    A mor
    R esposta
    Junto de qualquer pessoa, ou criação divina, nós podemos ser a resposta á sua necessidade e devemos colaborar nesse processo…
    todo aquele que se vê assim na vida, sabe que a qualquer momento, nós somos abrigados a responder, para ajudar quem está precisando, porque também nós estamos com necessidade de exercitar a nossa consciência, pedindo-lhe respostas no campo da caridade e da compaixão, da boa vontade e da solidariedade.
    Quando O Coração da Cidade se abriu à cidade, não foi apenas para os que menos têm e que mais de nós precisam, mas acima de tudo, para que nós aprendêssemos a dar, com paciência e com amor… saber dar ainda não é fácil para alguns.
    A alma da gente que passa por nós em êxodo permanente nesta vida, vive da boa vontade dos que na actualidade estão mais despertos… mas a disponibilidade ainda não se faz sentir a todos os níveis .
    Demoramo-nos, contemplando os grandes marcos da humanidade no campo solidário e aí ficamos, bendizendo o que fizeram… e, imóveis, não conseguimos aderir à causa comum ( o bem estar geral ).
    Insistimos em manter a ideia da pobreza dos anos vinte e a pobreza tem contornos diferentes, específicos da vida actual…
    A pobreza moral e intelectual… traz até nós seres abrutalhados e espiritualmente avessos a qualquer tipo de moralidade, sem consciência do mal que praticam e rogando o mais básico da vida… quase exigindo e agredindo em seguida… mas não deixam de constituir parte do número daqueles onde temos que ajudar…
    A pobreza que esperamos encontrar, ela está aí consciente da sua situação, provocando
    lágrimas de dor, em lares que respeitam as regras sociais, com escolaridade por vezes acima da média, tentando dar á sua vida qualidade , mas esbarrando de frente com o egoísmo humano, que no seu todo, personifica também a pobreza moral e espiritual dos mais abastados.
    Seja qual for a sua condição económica, a pobreza moral assinala-se perfeitamente …
    mas então o que devemos fazer?… parar ?… continuar?…
    Devemos aderir a qualquer causa que esteja voltada para o progresso moral e intelectual da humanidade e logicamente atender ás suas necessidades mais básicas.
    O Coração da Cidade é de certeza um porto de abrigo a todo o tipo de carência, económica, moral, intelectual e espiritual.
    Quando aqui, ou em outro espaço de intervenção eu chamo á atenção para a obra, estou ao mesmo tempo, criando a possibilidade de quem me escuta, se elevar um pouco acima daqueles que parasitam no universo, pensando que Deus tem o dever de suprir as suas necessidades… não tem não … elas se superam em automático, conforme a nossa necessidade.
    O apelo, portanto, aqui vai… pondere sobre o seu tempo livre… invista em si, faça-se voluntário da causa universal e ajude a criação divina, pois quer seja crente ou não, ainda é Ele que coloca á sua disposição o Sol, a água, a luz e até os que vêm ao seu encontro.Aceite ou não aceite vive as espenssas divinas.
    Não se sinta á parte da criação, não precisa de acreditar em Deus, apenas necessita de acreditar em si e sentir-se útil, porque faz parte deste movimento a que chamamos VIDA… e j á agora sabe o que significa vida? …
    V ia
    I ncondicional
    D e
    A poio
    Pois é … tudo é doação e ao apoiarmos os outros, estamos a contribuir para o movimento universal, a contribuir para essa energia cósmica de onde não nos é permitido sair… porque todos nós somos energia … o nosso pensamento… as nossas acções… são capazes de agir em movimento constante, apenas diferenciando na sua qualidade .
    Todo aquele que est á ajudando incondicionalmente está gerando vida …
    Todos, se quisermos podemos ajudar , não só dentro duma instituição. mas fora da instituição, fazendo parte dos luminares, com os quais a instituição pode contar…
    Inverta os factores em que gravita habitualmente e revele-se mais cooperante… não sinta vergonha, seja activo, divulgue o quanto puder uma causa, colabore neste espaço meteórico a nível informático e ajude…
    Este mês, queremos juntar o máximo de garrafas de azeite que podermos…
    apontamos um número … 1000 garrafas …
    o azeite ainda é um produto difícil de conseguir … portanto pesquise… em fornecedores, agentes, cantinas, empresas do ramo alimentar e vai ter uma grande surpresa… adira a este desafio…
    A NET pode ser o coração electrónico de uma grande causa …
    o essencial você já tem… é alfabetizado, raciocina e tem coração, senão não lia esta mensagem até ao fim… por isso só lhe resta:
    DAR DE GRAÇA O QUE DE GRAÇA RECEBEU

    Elton Bonfim 29 Janeiro, 2010 23:25
  • “DE GRAÇA recebestes, de graça dai.” (Mateus 10:8) Jesus deu essa instrução aos seus apóstolos quando os enviou para pregarem as boas novas. Os apóstolos obedeceram a essa ordem? Obedeceram, sim, e continuaram a fazer isso mesmo depois de Jesus ter partido da Terra.
    Por exemplo, quando o ex-feiticeiro Simão viu os poderes milagrosos dos apóstolos Pedro e João, ofereceu-lhes dinheiro para que lhe dessem esse poder. Mas Pedro repreendeu Simão, dizendo: “Pereça contigo a tua prata, porque pensaste obter posse da dádiva gratuita de Deus por meio de dinheiro.” — Atos 8:18-20.
    O apóstolo Paulo mostrou ter um espírito similar ao de Pedro. Paulo podia ter-se tornado um fardo financeiro para os seus irmãos cristãos em Corinto. No entanto, ele trabalhou com as próprias mãos para se sustentar. (Atos 18:1-3) Por isso, podia dizer com confiança que havia pregado as boas novas aos coríntios “sem custo”. — 1 Coríntios 4:12; 9:18.
    Lamentavelmente, muitos que afirmam ser seguidores de Cristo não mostram a mesma disposição, de dar “de graça”. De fato, muitos líderes religiosos na cristandade “instruem somente por um preço”. (Miquéias 3:11) Alguns líderes religiosos até mesmo ficaram ricos com o dinheiro arrecadado dos seus rebanhos.
    Em contraste, as Testemunhas de Jeová se esforçam a imitar Jesus e seus primeiros discípulos. Entre elas não há clérigos assalariados. Toda Testemunha de Jeová é um ministro incumbido da responsabilidade de divulgar as “boas novas do reino”. (Mateus 24:14) Por isso, mais de seis milhões delas, em todo o mundo, empenham-se em levar de graça às pessoas “a água da vida”. (Revelação [Apocalipse] 22:17) Assim, mesmo os que ‘não têm dinheiro’ podem beneficiar-se com a mensagem da Bíblia. (Isaías 55:1) Embora sua obra mundial seja financiada por donativos voluntários, elas nunca solicitam dinheiro. Como verdadeiros ministros de Deus, não são “vendedores ambulantes da palavra de Deus”, mas falam “em sinceridade, sim, como enviados por Deus”. — 2 Coríntios 2:17.
    O pacto da Lei, com suas ordens sobre o dízimo, foi abolido à base da morte de Jesus na estaca de tortura. Sobre isto, escreveu o inspirado apóstolo Paulo: “[Deus] apagou o documento manuscrito . . . e Ele o tirou do caminho por pregá-lo na estaca de tortura.” (Col. 2:14) Por isso, a ordem sobre o dízimo, dada aos israelitas, não pode ser usada para provar que Deus exija isto dos cristãos.
    Um exame das Escrituras Gregas Cristãs não fornece indício algum de que os membros da igreja do primeiro século tivessem de pagar dízimos. Na verdade, faziam contribuições para medidas de socorro em favor dos concrentes necessitados. Davam também ajuda aos anciãos que trabalhavam arduamente em falar e ensinar. Em ocasião alguma, porém, lemos sobre se pôr de lado uma quantia específica de renda para tais contribuições. — Atos 11:29; Rom. 15:26; 1 Cor. 16:1-3; Fil. 4:15, 16.
    Nas Escrituras Gregas Cristãs, dá-se ênfase à dádiva voluntária que procede do coração. Lemos: “Se houver primeiro a prontidão, é especialmente aceitável segundo o que a pessoa tem, não segundo o que a pessoa não tem.” (2 Cor. 8:12) “Faça cada um conforme tem resolvido no seu coração, não de modo ressentido, nem sob compulsão, pois Deus ama o dador animado.” (2 Cor. 9:7) Manifestamente, se o dízimo fosse imposto aos cristãos, a quantia já teria sido determinada para eles por uma ordem específica.
    A respeito da ajuda material dada aos anciãos, instruiu-se aos cristãos: “Os [anciãos], que presidem de modo excelente, sejam contados dignos de dupla honra, especialmente os que trabalham arduamente no falar e no ensinar. Porque a escritura diz: ‘Não deves açaimar o touro quando, debulha o grão’; também: ‘O trabalhador é digno de seu salário.’” (1 Tim. 5:17, 18) De novo, não se menciona qualquer dízimo a ser usado em ajudar materialmente os anciãos. Daí, também, não devemos concluir deste texto que quaisquer dos anciãos recebiam um salário fixo. Aquilo que recebiam eram dádivas voluntárias da parte dos que apreciavam que o tempo que estes anciãos dedicavam a favor da congregação poderia ter sido usado por eles em trabalhar para ganhar dinheiro. O apóstolo Paulo e outros anciãos fiéis, contudo, não procuravam tal ajuda material. Trabalhavam com a mãos para cuidar de suas próprias necessidades físicas. — 1 Tes. 2:9.
    Assim, não há prova bíblica de que os cristãos primitivos considerassem o dízimo como requisito divino. Isto só se deu durante o tempo em que vigorava o pacto da Lei. Com a abolição da Lei, a ordem de dar o dízimo também foi cancelada. E nenhuma ordem de dar o dízimo foi dada à congregação cristã. As contribuições para adiantar os interesses da adoração verdadeira eram estritamente voluntárias. As testemunhas cristãs de Jeová hoje em dia seguem, o exemplo da congregação do primeiro século.

    Tompson ROGÉRIO vieira 29 Janeiro, 2010 23:25

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Loading...